PUBLICIDADE
Geral

Após punição por atos libidinosos, médico some de posto

| CAMPO GRANDE NEWS


Após ter divulgada a punição do CRM (Conselho Regional de Medicina) por praticar atos libidinosos com pacientes, o médico Wilson Roberto Cardoso Farias não foi localizado durante o dia todo no posto de saúde da Mata do Jacinto, em Campo Grande, onde trabalha.


A equipe do Campo Grande News esteve no local em três momentos distintos do dia. Às 9h ele ainda não estava na unidade de saúde.


Às 11h, a informação dada pela direção do posto era que a esposa do médico ligou informando que o filho dele havia quebrado o braço, por isso teve que deixar o atendimento.


Já por volta das 14h, quando a equipe voltou ao local, foi informada de que ele já havia ido embora.


O médico atua no posto em regime de 40 horas semanais, trabalha de manhã e à tarde sempre nos dias da semana, como clínico geral. Ele foi transferido da unidade básica de saúde da família do Paulo Coelho Machado.


A direção do posto informou que já havia recebido várias reclamações de pacientes sobre o atendimento do médico, mas nenhum formalizou denúncia.


Foi informado, ainda, que os problemas ocorriam sempre com pacientes mulheres, nunca com homens, mas elas faziam apenas reclamações verbais. Além de clínico, ele é ginecologista e obstetra.


Apesar de considerada grave pelo CRM, a punição de ter o nome censurado publicamente não tem o poder de cassar seu registro profissional.


Como não perdeu o registro, ele pode continuar atuando pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE