PUBLICIDADE
Caarapó

Button vence GP da China e assume liderança do Mundial de F-1

| TERRA


Em uma corrida com queimada de largada, erros para todos os lados, pista molhada e seca e a presença por duas vezes do safety car - uma delas em situação questionável - a McLaren deu o troco nas gozações da Red Bull e fez a sua dobradinha. O inglês Jenson Button, atual campeão do mundo, venceu pela segunda vez e agora lidera o Mundial de pilotos. Lewis Hamilton, em incrível corrida de recuperação, terminou em segundo.


Nico Rosberg, da Mercedes, chegou a liderar a corrida mas terminou em terceiro, completando o pódio. Felipe Massa, em um dia não muito feliz, foi o nono colocado e caiu cinco posições no Mundial de pilotos. Os outros brasileiros também não foram bem na China. Rubens Barrichello, da Williams, ficou em 12º. Bruno Senna, da Hispania, acabou na 16ª e penúltima colocação. Lucas di Grassi teve problemas com seu Virgin e deu apenas oito voltas.


As Red Bulls, que fizeram dobradinha no grid de largada, ficaram fora do pódio. Sebastian Vettel, o mais rápido no sábado, foi apenas o sexto. Mark Webber, que largou em segundo, terminou em oitavo.


Fernando Alonso, da Ferrari, Robert Kubica e Vitally Petrov, da Renault, e Michael Schumacher, da Mercedes, também somaram pontos para o Mundial.


A prova deste domingo foi marcada, principalmente, pelas mudanças climáticas. Apenas na primeira metade da corrida, a maioria dos pilotos foi obrigada a fazer três paradas nos boxes para trocar pneus. Button, que foi aos boxes apenas uma vez nesse período, assumiu a ponta na 19ª volta e garantiu a vitória.


Com a vitória, Button, que também venceu na Austrália, assumiu a liderança do Mundial de Fórmula 1, com 60 pontos conquistados. A segunda colocação é de Rosberg, com 50 pontos, seguido por Alonso e Hamilton, com 49 pontos.


Logo na largada, Fernando Alonso assumiu a primeira colocação, deixando para trás o Red Bull de Vettel. O alemão, que largou na pole position, também perdeu a segunda posição para seu companheiro de equipe, Mark Webber. Ainda na primeira volta, um acidente entre Vitantonio Liuzzi, da Force India, Sebastian Buemi, da Toro Rosso, e Kamui Kobayashi, da Sauber, fez o safety car entrar na pista.


A maioria dos pilotos aproveitou a entrada do carro de segurança para ir aos boxes e colocar pneus intermediários, por conta da garoa que atingia o circuito de Xangai. Menos de quatro voltas depois, no entanto, quase todos os carros voltaram aos boxes para recolocar os pneus para pista seca, já que a ameaça de chuva não se concretizou.


Alonso ainda recebeu uma punição por queimar a largada e teve que passar pelos boxes sem ultrapassar o limite de velocidade, caindo para a 14ª colocação, atrás de Felipe Massa.


Quem se de bem com essa situação foi o alemão Nico Rosberg, da Mercedes, que não parou nenhuma vez e assumiu a primeira colocação da prova. Jenson Button, que também não trocou seus pneus, pulou para a segunda colocação, seguido por Robert Kubica e Vitaly Petrov.


Na volta 19, Button assumiu a liderança da prova, com uma ultrapassagem tranquila sobre Rosberg, que havia errado na curva anterior e permitiu a aproximação do inglês, que estava 4s atrás do alemão. Com a volta da chuva em Xangai, os pilotos voltaram aos boxes para realizar nova troca de pneus, optando novamente pelos pneus intermediários.


Na entrada para os boxes, Alonso realizou ultrapassagem arriscada sobre Massa, fazendo com que o brasileiro tivesse que esperar o espanhol realizar sua parada antes de trocar seus pneus.


O safety car voltou à pista na volta 22, recolocando emoção à prova, em um momento em que Button e Rosberg tinham mais de 40s de vantagem sobre o pelotão. Na relargada, Hamilton, que fez excelente prova de recuperação, passou a pressionar os líderes da prova, mas conseguiu a ultrapassagem sobre o alemão apenas na 39ª volta, quando os pilotos pararam para nova troca de pneus.


Com a dupla britânica da McLaren nas duas primeiras colocações, a disputa pela liderança da prova diminuiu. Hamilton pouco ameaçou Button e, apenas manteve o ritmo para não ser pressionado por Rosberg.


No bloco intermediário, as posições também pouco se alteraram na parte final da corrida. O destaque ficou com Petrov, que nas últimas voltas ultrapassou Schumacher e Webber, e garantiu a sétima colocação para a Renault, que também teve Kubica em quinto.


Confira a classificação final do GP da China


1 - Jenson Button (ING / McLaren)
2 - Lewis Hamilton (ING / McLaren) a 1s5
3 - Nico Rosberg (ALE / Mercedes) a 9s4
4 - Fernando Alonso (ESP / Ferrari) a 11s8
5 - Robert Kubica (POL / Renault) a 22s2
6 - Sebastian Vettel (ALE / RBR) a 33s3
7 - Vitaly Petrov (RUS / Renault) a 47s6
8 - Mark Webber (AUS / RBR) a 52s1
9 - Felipe Massa (BRA / Ferrari) a 57s7
10 - Michael Schumacher (ALE / Mercedes) a 61s7
11 - Adrian Sutil (ALE / Force India) a 62s8
12 - Rubens Barrichello (BRA / Williams) a 63s6
13 - Jaime Alguersuari (ESP / STR) a 71s4
14 - Heikki Kovalainen (FIN / Lotus) a uma volta
15 - Nico Hulkenberg (ALE / Williams) a uma volta
16 - Bruno Senna (BRA / Hispania) a duas voltas
17 - Karun Chandhok (IND / HRT) a quatro voltas


Não completaram


Jarno Trulli (ITA / Lotus) abandonou na 21ª volta
Lucas di Grassi (BRA / Virgin) abandonou na oitava volta
Pedro de la Rosa (ESP / Sauber) abandonou na sétima volta
Sebastien Buemi (SUI / STR) acidente na primeira volta
Kamui Kobayashi (JAP / Sauber) acidente na primeira volta
Vitantonio Liuzzi (ITA / Force India) acidente na primeira volta
Timo Glock (ALE / Virgin) não largou 
 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE