PUBLICIDADE
Política

André diz que recebe pressão de Temer para apoiar Dilma

| MIDIAMAX


O governador André Puccinelli (PMDB) revelou hoje o presidente da Câmara Federal, deputado Michel Temer (PMDB) “quer porque quer” que o PMDB de Mato Grosso do Sul declare apoio à presidenciável petista Dilma Rousseff. Até agora, o governador, cujo apoio também é pretendido pelo PSDB, se absteve de declarar preferências nas eleições presidenciais.

“O Michel quer que apoie a Dilma porque ele vai ser vice dela (...) Não é porque o Michel vai ser vice da Dilma que nós somos abrigados a estar lá [entre os aliados]. Não é porque o Michel não fosse vice da Dilma que eu não poderia estar lá”, disse nesta manhã durante entrevista coletiva na Governadoria.
 

André Puccinelli explicou que antes de definir pela aliança com Dilma ou com o tucano José Serra, conversará com o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Depois reunirá seu grupo político para relatar o que ouviu do presidente.
 

Lula tinha pedido a André que aguardasse até 15 de abril antes de se decidir por alianças. O prazo expirou e os dois ainda não conversaram. O governador verá a presidente em breve, em evento em Ponta Porã, previsto para 3 de maio, no qual o chefe da Nação deve se reunir com o presidente Paraguaio, Fernando Lugo.
 

Contudo, André avaliou que talvez não seja essa a melhor ocasião para tratar de política. Assim sendo, o governador não descarta marcar outro encontro depois.
 

Michel

No começo do ano, o governador ajudou a reeleger Temer presidente nacional do PMDB. A atitude do governador foi uma demonstração de que ele não pretendia criar dificuldades para a aliança nacional entre PT e PMDB que ainda precisa ser referendada em convenção.
 

Na época circularam notícias, na imprensa nacional, dando conta de que André tinha, na verdade, feito um acordo com a cúpula nacional do PMDB. Ajudaria o partido a fechar aliança com Dilma e em troca ficaria liberado para fazer a aliança que quisesse em Mato Grosso do Sul, inclusive com José Serra.
 

André sempre negou tal acordo e agora enfrenta a pressão de Michel Temer. O governador, contudo tem se aproximado do PSDB. Os tucanos inclusive já dão como certo o apoio dele a José Serra nas eleições deste ano.

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE