PUBLICIDADE
Caarapó

Vendaval deixa rastro de destruição em Dourados

| DOURADOSAGORA


Uma forte ventania deixou rastro de destruição em Dourados. Os ventos chegaram a arrastar caminhões e tombá-los na região do Jardim Alambra. O Parque de Exposições João Humberto de Carvalho teve o sistema elétrico comprometido.
 

As rajadas de vento também destruíram muros de casas, estruturas de estabelecimentos comerciais, além de carros que foram atingidos por árvores que caíram. Na região do João Paulo II o portão metálico de uma empresa estava em cima da fiação elétrica.
 

Apesar das vítimas relatarem um provável tornado em Dourados, o setor de metereologia da Embrapa (Centro Oeste) registrou ventos de até 65 quilômetros por hora. De acordo com o metereologista da Embrapa Jovair Martins, na escala de ventos este números correspondem a ventanias em que se é impossível caminhar. Para ser tornado, sensores teriam que ter registrado rajadas acima de 100 quilômetros por hora. O número corresponde a uma altura de 10 metros.
 

De acordo com o metereologista Abraão Filho, não está descartada a hipótese de ventos mais fortes ou mais fracos. Para ele, o que houve foi um temporal com predominância de ventos em Dourados. Como não há sensores em todos os locais de Dourados, não há comprovação científica de até quanto os ventos chegaram e se houve um princípio de tornado como acreditam moradores de várias áreas de Dourados.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE