PUBLICIDADE
Política

Nelsinho responde a André: “não sou bicho” e deve manter apoio a Dilma

| MIDIAMAX


O prefeito de Campo Grande Nelsinho Trad (PMDB) insiste que sua prioridade nas eleições deste ano é a reeleição de André Puccinelli (PMDB), contudo, demonstra querer manter sua individualidade no que diz respeito às eleições presidenciais. Ele é a única liderança do PMDB local que declara abertamente preferência pela candidata petista Dilma Rousseff.

Hoje, ao encerrar o XX Passeio Ciclístico em homenagem ao Dia do Trabalhador, nos altos da Avenida Afonso Pena, ele demonstrou não ter medo de agir isoladamente à decisão do partido que, por hora, sinaliza apoio a José Serra, do PSDB.

Nesta semana, o governador André Puccinelli (PMDB) sugeriu que gostaria que todo o partido estivesse em um mesmo palanque. “Cateto fora do bando é comida de onça”, disse sobre a possibilidade de o prefeito ficar em palanque oposto. Nelsinho reagiu hoje. “Não sou bicho”, respondeu à imprensa pouco antes de participar do tradicional sorteio de bicicletas.

“Minha prioridade é a reeleição do André. Eu sempre falei isso”, completou. Contudo, buscou desqualificar a crença de que pode ficar isolado nas eleições se escolher apoiar Dilma. “O Michel Temer vai com quem?”, indagou. “Eu vou acompanhar o partido, vamos ver como é que o partido vai”, disse.

Nacionalmente, o PMDB apoiará Dilma e lideranças expressivas do partido têm trabalhado para que os diretórios estaduais façam o mesmo. Michel Temer, presidente da Câmara Federal, por exemplo, tem feito pressão para que o PMDB de Mato Grosso do Sul apoie a petista, segundo informação do governador André Puccinelli. “Ele quer porque quer que apoie a Dilma”, disse certa vez.

Temer é nome cotado para ocupar a vaga de vice de Dilma. Contudo, André e as lideranças locais do PMDB mais simpáticas a Dilma rejeitam pressão.“Não é porque o Michel vai ser vice da Dilma que nós somos abrigados a estar lá [entre os aliados da petista]”, argumenta André.

Apesar da declarada preferência por Dilma, o PSDB não desistiu de conquistar o apoio Nelsinho Trad para José Serra. Os tucanos querem dialogar com ele e, se preciso, colocar o próprio Serra em contato para tentar afasta-lo de Dilma. “Eu não quero polemizar sobre isso. Mas é claro que mais pra frente nós vamos conversar”, mencionou.

Antes de encerrar a entrevista sobre a questão eleitoral ainda disse não entender o motivo de sua preocupação com sua escolha nas eleições presidenciais. “Eu não sou nada nesse contexto, gente”, disse.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE