PUBLICIDADE
Caarapó

Apesar de queda na produção, apicultores de Caarapó continuam otimistas

Produção de mel caiu aproximadamente 80% em Caarapó

| CAARAPONEWS


Por José Carlos

Ao contrário da agricultura o ano de 2010 não está sendo um bom momento para os apicultores de Caarapó. Segundo informações da Associação dos Apicultores de Mel, a produção em relação ao ano passado foi de aproximadamente 80% a menos para alguns produtores do município.
 

Segundo o presidente da Associação, Pedro Vargas Dáuria, a queda está relacionada à grande quantidade de chuvas nos meses considerados como da florada, ou seja, janeiro e fevereiro. A entidade possui 14 associados, sendo que alguns usam a apicultura como atividade básica, complemento na renda familiar e outros por Hoby.
  Dáuria disse ainda que o mel produzido é comercializado aqui no município, onde a demanda pela procura é muito grande. Outro fator importante é que o mel já faz parte da merenda escolar na rede estadual em forma de sachê.
  Para o apicultor José Roberto Betini, que também é membro da Associação dos Apicultores de Mel de Caarapó e da Cooperativa dos Apicultores do Estado de Mato Grosso do Sul (COOAPISMEL), apesar do ano não ter sido bom para o setor, trabalhar com o mel é algo fascinante. “Faço com prazer, no ano passado produzi 1.300 quilos, este ano somente 180 quilos, mas animação é o que não me falta para continuar trabalhando”, falou.
  Betini explicou que o período que compreende a produção de mel geralmente é de novembro a abril, e este ano foi um dos mais chuvosos dos últimos tempos, o que atrapalhou a produção de mel no município. “Mesmo assim vale a pena continuar investindo nesse setor, o nosso mel é respeitado não só aqui na região, mas em alguns municípios de São Paulo e Paraná. Produzimos o mel comum e também o silvestre, este último é o mais procurado devido ser produzido com a nécta direto das florestas”, argumentou”.
  De acordo com a chefe de Departamento da Biblioteca Municipal, Zilda Lopes Marquezolo Santos, o uso do mel é um hábito que lhe acompanha há muitos anos. “Faço de tudo para não deixar faltar em minha casa a geléia real e o mel, em vez de usar o açúcar em certas oportunidades, uso o mel, é muito mais saudável”, falou.
  Segundo a nutricionista Daniela Bittencourt, o mel é uma mistura natural de glicose e frutose (considerado como fonte natural adoçante), proteínas, vitaminas (presentes em pequenas quantidades, como as vitaminas A, B2, C e B6) e minerais (potássio, selênio, manganês, zinco, cromo, alumínio, magnésio, sódio, cálcio, fósforo, ferro, manganês, cobalto, cobre e outros).
  Daniela disse também que o mel é um alimento muito rico e de elevado valor energético, consumido mundialmente e de extrema importância para a saúde do organismo humano. Estudos científicos revelam que o mel tem diversas propriedades: antimicrobiana, antibacteriana, antioxidante, curativa, calmante, regenerativa de tecidos (cicatrizante), estimulante, prebiótica (regulariza a flora intestinal). Ele é usado em tratamentos de doenças orais, úlceras pépticas e gastrite, de infecções urinárias, na inibição de bactérias causadoras de cárie dentária, dentre outras.
  A nutricionista disse ainda que a composição e as propriedades do mel variam de acordo com a origem floral.
  Mais informações nos telefones 9956 1555, 3453 1791 ou ainda 9999 7410. A Associação dos Apicultores de Mel está localizada na Rua Dr Coutinho, no antigo Laticínio Caarapó.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE