PUBLICIDADE
Caarapó

Saída do meia-atacante Diego Souza do Palmeiras está próxima

| FOLHA


A passagem de Diego Souza pelo Palmeiras está próxima do fim. Os gestos obscenos e os palavrões proferidos contra parte da torcida na quinta-feira à noite, no Parque Antarctica, terminaram de destruir uma relação que já estava abalada.


Além de ter brigado com a "turma do amendoim" (setor da torcida que ocupa as cadeiras do estádio palmeirense), Diego Souza já se desentendeu com Marcos, principal ídolo do clube, e com a Mancha Alviverde.


A avaliação no clube é que não há mais clima para a continuidade do meia, que pertence à Traffic e tem contrato de empréstimo com o Palmeiras até dezembro de 2011.


A ideia da empresa e de Carlos Leite, agente do atleta, é vendê-lo para o futebol europeu na próxima janela de transferências, logo após a Copa do Mundo da África do Sul.


Mas o Internacional tenta levá-lo de novo para o Rio Grande do Sul, onde foi bem pelo Grêmio --foi vice-campeão da Libertadores de 2007.


No começo do ano, o clube tentou forçar uma troca com o atacante Kléber, do Cruzeiro, mas a parceira não quis.


Agora, a ideia é trocá-lo por outro atacante: Edu, que voltou da Europa no ano passado (estava no Betis espanhol), mas teve poucas chances no Inter.


Dirigentes do time gaúcho já davam como certa a negociação com Diego Souza antes mesmo do episódio de quinta-feira. Se a operação for concretizada, ele deve ficar no Beira-Rio até o meio do ano vem --mesma duração de um eventual contrato de Edu com o Palmeiras.


Após a vitória sobre o Atlético-GO por 1 a 0, e dos xingamentos recíprocos entre Diego Souza e torcida, o goleiro Marcos disse em entrevista coletiva que "o Diego vai se explicar".


Na sexta-feira, o jogador desistiu de falar com a imprensa. O meia Cleiton Xavier afirmou que, se o caso fosse com ele, pediria desculpas para a torcida.


O técnico Antônio Carlos também repreendeu o jogador. "Não deveria ter acontecido, pois o torcedor paga ingresso e nós temos que administrar o que acontece em campo."


Ainda na noite de quinta-feira, o treinador acrescentou ainda que iria "acalmar o Diego quanto ao que aconteceu". Mas a diretoria palmeirense já pensa no segundo semestre sem o camisa 7 --com Cleiton Xavier e Lincoln na armação. A prioridade é contratar um atacante.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE