PUBLICIDADE
Política

Orientada por Lula, Dilma muda sua forma de se vestir

| MIDIAMAX


Bombardeada de críticas sobre seus tropeços no quesito fashion, a ex-ministra Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência, resolveu pedir a ajuda de profissionais de estilo para renovar seu guarda-roupa de campanha.

A preocupação teria partido do presidente Lula, que comentou com aliados a necessidade de modernizar as roupas da candidata.

Num primeiro momento, Dilma teria recusado a ajuda do "esquadrão fashion", mas acabou cedendo. Os resultados já são visíveis: em suas últimas aparições, ela deixou de lado os babados e os tons escuros e optou por looks clássicos e cores neutras.

"Dilma já tem um jeito sério, não precisa de uma roupa que ressalte ainda mais isso. É bom que ela se apresente com leveza", afirma Mario Queiroz, estilista da São Paulo Fashion Week e diretor do Instituto Europeu de Design.

Para a pesquisadora Camila Toledo, presidente para a América Latina do birô internacional de tendências Style Sight, ocorre uma mudança importante no estilo das mulheres ligadas à política. "O modelo Margaret Thatcher [ex-primeira-ministra britânica conhecida por seu visual e modos "masculinizados"] acabou. As mulheres do meio político já começam a ousar mais, podem ser poderosas e femininas ao mesmo tempo", afirma.

Camila acredita que os assessores de Dilma deveriam sugerir peças clássicas e pequenas ousadias, como broches e tecidos texturizados. "Ela poderia usar peças atemporais de grifes consagradas como Prada e Marni."

"Uma candidata deveria ter a liberdade de usar Chanel e Dior sem ser criticada por isso", diz o estilista e consultor de moda Samuel Cirnansck.

A adoção de marcas famosas, porém, não é unanimidade. "Acho que o PT está numa corda bamba, tentando passar uma imagem que dialogue com a elite sem deixar o povo de lado", diz Queiroz.

Para o estilista, uma linha segura seria seguir o exemplo da primeira-dama americana Michelle Obama. "Michelle usa roupas simples, misturando grifes famosas com lojas populares e apostando na praticidade", diz o estilista.

Entre os que acreditam que Dilma poderia se beneficiar de um "makeover fashion", o editor de moda e stylist Paulo Martinez sugere uma terceira opção entre as grifes de luxo e as populares. "Para evitar erros, a candidata pode pedir a seu stylist que encomende peças feitas sob medida."


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE