PUBLICIDADE
Política

André acerta com PTB e vai apoiar José Serra, garante Marisa

| MIDIAMAX


O governador André Puccinelli, do PMDB, e o ex-governador Zeca do PT, principais pré-candidatos ao governo de Mato Grosso do Sul estiveram neste domingo num mesmo evento, ficaram perto uns 20 metros um do outro, mas nem sequer se olharam.
 

Na Festa da Linguiça, em Maracaju, embora os dois tenham dito à imprensa que lá não trataria de assuntos ligados à política, Puccinelli fechou-se numa sala com o prefeito da cidade, Celso Vargas, do PTB, e recebeu dele a promessa de apoio nas próximas eleições. Essa aliança foi confirmada por Vargas e também pelo presidente regional do PTB, Ivan Louzada.
 

Outro fato político acontecido na Festa da Linguiça surgiu por meio da declaração da senadora Marisa Serrano, do PSDB, que foi a cidade acompanhada do governador. Ela disse que Puccinelli vai apoiar o candidato de seu partido, José Serra.
 

Ate agora, contudo, o governador ainda não manifestou sua preferência se por Serra ou pela ex-ministra Dilma Roussef (Casa Civil), a candidata do PT à Presidência da República. Já o peemedebista disse que tem até junho para anunciar sua opção.
 

Puccinelli participa de uma reunião entre Lula e o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, nesta segunda-feira, em Ponta Porã. O governador disse ao Midiamax que só fala de política com Lula caso o presidente puxar o assunto. Ele afirmou que na audiência deve tratar de segurança pública com o presidente. Zeca do PT não participa do evento com Lula.
 

Havia uma expectativa de ex-governador se encontrar com Puccinelli, em Maracaju. Contudo, o petista chegou primeiro ao evento, caminhou pelo Parque de Exposições do município, local da festa, cumprimentou os visitantes, almoçou e foi embora logo que viu a chegada de Puccinelli.
 

Puccinelli e Zeca ficaram próximos, mas nem se olharam. Antes, Zeca disse que não era interesse seu em conversar com o adversário. Já Puccinelli disse ter ido a Maracaju cumprir uma “pauta de festa”, não uma “pauta de política”.
 

Até um mês atrás, Zeca do PT contava com o apoio dos petebistas, mas esse propósito enfraqueceu a partir das declarações do presidente regional do PTB, Ivan Louzada, que se mostrou favorável a coligação com o PMDB. Esse assunto ainda é debatido no partido. A opinião de Louzada não é uma unanimidade entre os petebistas.
 

Outra indefinição quanto às composições políticas tem a ver com o apoio de Puccinelli a candidatura de José Serra. De janeiro para cá ora Puccinelli diz que pode se juntar a candidata petista, ora apoiar o tucano.
 

Questionado sobre o mistério nutrido por Puccinelli , a senadora Marisa Serrano disse que o “governador tem seus motivos para isso”, mas que ele já teria definido sua preferência por Serra.
 

Mesmo que Puccinelli decida apoiar Serra, o PMDB deve ficar divido quanto à escolha do candidato à presidente do Brasil. O prefeito de Campo Grande, Nelson Trad, por exemplo, tem dito que sua preocupação é a de reeleger Puccinelli, mas que pode pedir votos para a ex-ministra Dilma.

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE