PUBLICIDADE
Geral

Avião com 104 pessoas cai ao pousar no aeroporto de Trípoli

| TERRA


Uma criança holandesa de apenas 8 anos é a única sobrevivente do acidente envolvendo um Airbus A330 de propriedade da empresa aérea Afriqiyah Airways, que caiu na madrugada desta quarta-feira (12) nas proximidades do aeroporto de Trípoli, capital da Líbia. Segundo informações da agência Reuters, a aeronave transportava 104 pessoas e chegava de Johannesburgo, na África do Sul.


O número de vítimas ainda é contraditório, mas a agência de notícias AFP contabiliza ao menos 103 mortos, de acordo com informações repassadas pelas autoridades do país. A agência também informa que o garoto que sobreviveu à tragédia foi levado para um hospital próximo ao aeroporto.


O avião transportava 93 passageiros e 11 tripulantes e deveria pousar em Trípoli às 6h10 no horário local (1h10 de Brasília), mas caiu a cerca de 100 metros da cabeceira da pista do aeroporto. De Trípoli, o avião seguiria rumo ao aeroporto de Heathrow, o principal de Londres.


Segundo um porta voz do ministério sul-africano, Nomfanelo Kota, o avião desapareceu durante a noite de ontem. O porta voz disse que a aeronave transportava passageiros de várias nacionalidades, incluindo britânicos e sul-africanos. Todos os 11 tripulantes seriam líbios, de acordo com um funcionário da Afriqiyah Airways.


O ministério de Relações Exteriores da Holanda afirmou que havia muitos holandeses no voo, porém não confirma que um menino teria sobrevivido, segundo a agência de notícias France Presse.


As autoridades da Líbia confirmaram a queda do Airbus A330, mas não informaram o local exato da queda ou a situação dos passageiros que estavam a bordo.


O governo líbio ainda não esclareceu se o avião já estava sobre a pista de pouso, mas afirmou que algumas testemunhas no aeroporto disseram não ter visto a aeronave pousar. O tempo na região nos últimos dias tem estado claro e ensolarado, de acordo com relatos de agentes do aeroporto de Trípoli.


A companhia aérea Afriqiyah foi fundada em 2001 e começou suas operações com cinco aviões alugados. Em 2007, a empresa assinou contrato com a Airbus na França e adquiriu 11 aviões. A empresa foi criada com capital estatal, mas hoje opera com capital misto administrado por um Fundo de Investimentos Líbio-Africano.
 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE