PUBLICIDADE
Dourados

Morto em confronto com a polícia assassinou rival com 25 facadas em 2018

Em 2018, quando tinha 16 anos, ele matou rival com 25 golpes de faca. “Matei gostosinho”, disse ele três dias após o crime

| CAMPO GRANDE NEWS


Samuel Augusto, morto hoje pela polícia (Foto: Reprodução)

Apesar da pouca idade, Samuel Augusto da Silva, 20, morto durante confronto com policiais civis nesta quinta-feira (19) em Dourados, possuía extensa ficha criminal. Em 2018, quando tinha 16 anos, ele matou rival com 25 golpes de faca. “Matei gostosinho”, disse ele três dias após o crime.

Samuel foi alvo hoje da Operação Asepsis, deflagrada pela Polícia Civil com apoio da PRF (Polícia Rodoviária Federal), da Polícia Militar e da Guarda Municipal para cumprir nove mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão contra suspeitos de tráfico de drogas e posse de armas. O outro procurado foi preso.

Quando chegaram à casa dele em condomínio localizado na Rua Monte Alegre, na Vila Alvorada (região oeste da cidade), agentes do SIG (Setor de Investigação Geral) foram recebidos a tiros.

Armado com revólver calibre 38, Samuel disparou três vezes. Os policiais revidaram e atingiram o suspeito. Nenhum agente foi ferido. O rapaz chegou a ser socorrido, mas morreu antes de receber atendimento médico. Na casa foram encontrados 80 gramas de cocaína pura divididos em papelotes e balança de precisão.

De acordo com o delegado Erasmo Cubas, Samuel era considerado “de alta periculosidade”. Integrante da chamada “oposição” – facção rival ao Primeiro Comando da Capital em Dourados – Samuel Augusto da Silva tinha passagens por homicídio, tráfico de drogas, porte e posse de arma de fogo e assalto.

Segundo o delegado, Samuel ocupava posição no escalão avançado da facção e tinha como missão armazenar e ceder as armas usadas pelos companheiros de organização criminosa.

Crime em 2018 – Na noite de 27 de novembro de 2018, Samuel, então com 16 anos, matou Weslley Gonçalves da Silva, 24, o “Leello”, com 25 facadas. O corpo foi encontrado na manhã do dia seguinte, na Vila Industrial, região leste de Dourados. O carro da vítima, um Fiat Palio, foi vendido no Paraguai.

Samuel foi preso três dias após o crime. “Matei gostosinho, porque ele deu um beijo na minha mina. Cê viu o que acontece com talarico [que se envolve com mulher comprometida]? Morre assim!”, disse o adolescente, soltando uma gargalhada, ao ser perguntado por repórteres sobre o motivo do assassinato.

O criminoso teria descoberto mensagens deixadas por Weslley na página da menina no Facebook. Ela tinha 16 anos na época. Samuel e a namorada marcaram encontro com Weslley.

Quando chegou ao suposto encontro, Weslley foi rendido, colocado dentro do carro e levado até o local onde foi morto a facadas e depois o corpo deixado na Vila Industrial. Segundo a polícia, a menina ajudou a atrair a vítima.

Wesley Ramires Braga, na época com 18 anos, e um adolescente de 17 anos também foram presos. Samuel disse que os dois apenas levaram o carro para o Paraguai, mas a polícia descobriu que eles teriam segurado Weslley enquanto Samuel desferia os golpes de faca. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE