PUBLICIDADE
árbitra

Neuza Back comenta ser primeira auxiliar brasileira em Copa do Mundo

| GLOBO ESPORTE


Neuza Back em ação nos Aflitos durante Náutico x CSA — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

A árbitra assistente Neuza Back será a primeira auxiliar brasileira da história a apitar em uma Copa do Mundo - na edição deste ano, em novembro, no Catar. Notícia recebida pela catarinense, de 37 anos, nesta quinta-feira, com um misto de expectativa, emoção e também de responsabilidade. Back comentou sobre a escolha ao Sportv, à noite, quando esteve escalada em Náutico x CSA, pela Série B.

Eu soube pela imprensa. Na verdade, quando as minhas amigas que estão aqui comigo no jogo me falaram: "Nossa, você vai pra Copa do Mundo!" E eu falei: "Hã?". Eu não tinha nem visto aí comecei ver as reportagens e as notícias e eu fiquei assim: "Calma, eu preciso sentar".

"É muito legal, indescritível, é um momento, assim, de alegria, de gratidão e um pouco também de senso de responsabilidade, por eu ser a única mulher eu sei que preciso ir lá e representar todas nós muito bem."

Neuza Back falou sobre como contou aos familiares. Não foi, a princípio, do jeito que ela queria.
- Eu fiz uma chamada de vídeo no grupo da família, só que a galera estava toda trabalhando e não me atenderam. Aí mandei no grupo da família. Eu coloquei a foto e falei assim: 'Vê se vocês acham algum nome conhecido aí. Aí o pessoal identificou e disse: 'Nossa, que legal!' 
Esta será a primeira Copa do Mundo com mulheres no comando de arbitragem. Serão três árbitras e três assistentes. 

A árbitra também comentou sobre casos de incidentes envolvendo árbitros e torcedores que têm se exaltado.
- Futebol é um meio que envolve muita paixão, né? Então, quando, quando fala, quando relaciona à paixão tem algumas pessoas que acabam em alguns momentos se exaltando um pouco. Mas de certa forma também é compreensível, levando em consideração que são torcedores. O que passa um pouco de violência, de ofensas, morais já chateia um pouco mais.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE