PUBLICIDADE
Nova Ferroeste

Com edital aberto, ferrovia que passará em Caarapó vai para leilão em setembro na Bolsa

| CAMPO GRANDE NEWS


Secretário de de Estado de Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar, Jaime Verruck. (Foto: Kelly Ventorim)

Mais um passo importante para a Nova Ferroeste sair do papel foi dado hoje (21), no Palácio Iguaçu, em Curitiba (PR). O governador paranaense, Carlos Roberto Massa Júnior, o Ratinho Junior (PSD) classificou o lançamento do edital de consulta pública da obra como “último capítulo da novela que já dura 20 anos”.

Nos últimos três anos, Mato Grosso do Sul e Paraná trabalham para que o investimento finalmente ocorra. “Os investidores do mundo todo já podem olhar o edital. O total de investimento é de R$ 35 bilhões. Assim que tivermos a licença prévia do Ibama, será publicado em definitivo o edital de leilão na B3. A previsão é que isso aconteça na última quinzena de setembro ou primeira de outubro”, ponderou o secretário de Estado de Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, que representou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) na ocasião.

Como grande exportador de commodities, a Nova Ferroeste vai ajudar no escoamento da produção saindo de Maracaju (MS) até o Porto de Paranaguá (PR). " Hoje 40% de tudo q exportamos vai para o Porto de Paranaguá, por caminhões. O objetivo é que a gente dê mais competitividade aos produtos do Estado, tanto para atender exportação, mas também somos grande fornecedores de milho e farelo para o Paraná e Santa Catarina, ou seja, vai contribuir para o acesso ao mercado interno”, acrescentou o secretário.

Além de reduzir o custo do transporte, o projeto é um dos mais sustentáveis do mundo. “É uma economia e redução CO2. A cada 100 vagões a economia é de mais de 357 caminhões na estrada. Mato Grosso do Sul tá aceitando esse desafio de aumentar a área de produção e precisa do aporte e logística para escoar”, concluiu Verruck.

A Nova Ferroeste, que terá trecho de 333 quilômetros em solo sul-mato-grossense, passando por oito municípios: Maracaju, Itaporã, Dourados, Caarapó, Amambai, Iguatemi, Eldorado e Mundo Novo. A estimativa é que pelo menos R$ 4,7 bilhões sejam investidos na obra no Estado. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE