PUBLICIDADE
campo grande

Polícia encerra inquérito de motorista de aplicativo preso por estuprar passageiras

O motorista segue preso na Deam e já foi pedido a sua prisão preventiva, e caso, seja deferida o autor será enviado ao presídio da cidade

| MIDIAMAX


Foto: Henrique Arakaki/Midiamax

A Polícia Civil, através da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) encerrou os três inquéritos em relação ao motorista de aplicativo de 38 anos, que estuprou duas passageiras e tentou estuprar uma terceira mulher, em Campo Grande. 

O motorista segue preso na Deam e já foi pedido a sua prisão preventiva, e caso, seja deferida o autor será enviado ao presídio da cidade. Em menos de 72 horas, o motorista chegou a estuprar duas passageiras. Ele foi indiciado por estupro, tentativa de estupro, ameaça. 

Em depoimento quando preso, ele confessou escolher as vítimas de forma aleatória, bastando apenas ser mulher, e que sempre que cometia os crimes, estava sob efeito de pasta base de cocaína, segundo a delegada Elaine Benicasa, quando da entrevista coletiva concedida, no dia 9 deste mês. O motorista de aplicativo tinha sempre o mesmo modus operandi.

Modus Operandi
O acusado abordava as mulheres e durante a rota mudava o trajeto escolhendo ruas escuras e ermas para cometer os abusos. Ele ainda disse que sempre usava pasta base de cocaína. As outras duas mulheres foram obrigadas sob ameaças a masturbar o homem, que também se masturbava na frente delas, as obrigando a assistir. 

A primeira vítima foi atacada no dia 29 de maio, no Bairro Universitário, já a segunda mulher foi atacada no dia 31 de maio quando pegou o carro do motorista de aplicativo do Bairro São Jorge da Lagoa até o Bairro Moreninhas. As duas vítimas foram obrigadas a masturbar o homem, e por este crime, ele vai responder por estupro, já que as obrigou a ter contato físico, e ameaça. 

Já no dia 6 deste mês, ele tentou estuprar outra mulher que saía da rodoviária, mas não conseguiu já que a vítima pulou do carro em movimento gritando por socorro. Neste caso, ele será indiciado por importunação sexual. A vítima voltava de uma viagem de Ponta Porã. Ela ligou para o marido quando estranhou o motorista mudar a rota. 

Ele já tem passagens por violência doméstica contra a ex-mulher. Sendo que na ocasião foi preso. O relacionamento teria terminado devido ao uso de drogas por parte do motorista de aplicativo, que foi preso em casa, na Vila Nhanhá.  

Relato de uma das vítimas
A vítima contou que chegou à rodoviária e pediu a corrida por aplicativo. No caminho, percebeu que o motorista tinha cancelado a viagem e questionou o que tinha acontecido. Ela ainda notou que o suspeito começou a andar por ruas escuras.

O homem teria pedido para abastecer e a vítima disse que não se importava. No entanto, ao passar perto de um posto, ele parou o carro e trancou as portas, desligando o carro. Foi neste momento que passou as mãos no cabelo da vítima, depois puxou e pegou o celular da passageira.

A mulher não conseguiu abrir a porta, então o motorista novamente ligou o carro, quando a vítima abriu a janela e se jogou do veículo em movimento. Ela correu e conseguiu pedir um celular emprestado para uma pessoa que passava na rua, quando ligou para a Polícia Militar e para o marido.
O celular da vítima foi encontrado jogado na rua e o suspeito acabou preso em casa pela equipe da PM, encaminhado para a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE