PUBLICIDADE
Política

PSB se mostra dividido e já admite compor aliança com André

| CAMPO GRANDE NEWS


Após “refazer contas”, o PSB de Mato Grosso do Sul, que tendia a apoiar a candidatura de Zeca do PT ao governo do Estado, está ainda mais dividido e já considera a possibilidade de dar sustentação ao projeto de reeleição do governador André Puccinelli (PMDB). O presidente regional do partido, Sérgio Assis, disse que a tendência inicial era de aliança com o PT.

Porém, após partidos como PRB, PTB e PTN terem desistido da chapa petista para apoiar Puccinelli, as coisas mudaram. “Hoje a coisa está dividida. Inicialmente, quando esses partidos estavam com o PT, a tendência era essa, mas agora mudou, a chapa ficaria com poucos candidatos, teríamos menos chance”, analisou. Outro entrave é a resistência do PV em formar um “chapão” com PSB, PDT, PSL e PCdoB.

A chapa principal de apoio a Zeca seria integrada por PT e PP. “Hoje esse chapão não teria nem 60 candidatos, rachado então fica difícil”, afirmou, detalhando que o PDT, o maior partido deste grupo, indicaria no máximo 10 candidatos nesta composição.

Se o PSB decidir apoiar a reeleição de Puccinelli, deve ficar na chamada “chapinha”, formada também por PSC, PMN, PTC, PTN e PTB. PSDC e PHS podem tanto ficar neste grupo quanto na chapa intermediária, formada ainda por PTdoB, PRTB, PPS e PRB.

Crítica – Sérgio Assis repudiou as articulações de Zeca do PT em Brasília, junto à cúpula nacional do partido. O ex-governador teria garantido apoio à sua candidatura durante conversa com o governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos. “Desta forma ele subestima a autonomia local do partido. Alguns grupos se rebelam e eu acabo tendo que administrar”, reclamou.

Mesmo tendo sido “puxado” para conversar pelo presidente nacional do PSB, Zeca deixa claro que não quer atropelar o comando local e que continuará negociando com Sérgio Assis. O dirigente regional do PSB admitiu que está tendo que atuar como “bombeiro” internamente. “Se a gente fica com André, alguns filiados desistem de ser candidatos, se a gente se alia ao Zeca, a mesma coisa, está difícil”, comentou. Ele deve se reunir com o governador André Puccinelli no início da próxima semana para resolver a questão. A convenção que homologará os candidatos do partido acontece no dia 28.

Esta semana, o governador disse que a negociação com o PSB tinha 50% de chances de prosperar.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE