PUBLICIDADE
Caarapó

Herbicida pressiona custo da lavoura de soja transgênica

Pela análise da relação de troca dos agricultores, Mato Grosso do Sul teve redução de um terço no poder de compra nesta safra. No plantio anterior, os sojicultores de Caarapó tiveram o melhor impacto na relação de troca de soja pelo insumo.

| CAMPOGRANDENEWS


 

O produtor de Mato Grosso do Sul que apostou no plantio da soja geneticamente modificada ao invés da tradicional acumulou aumento de custo na safra 2007/08, segundo dados da pesquisa do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) da USP (Universidade de São Paulo). O aumento de custo ocorreu porque o glifosato valorizou 46,2% no estado, passando de R$ 8 para R$ 11,63.

De acordo com o Cepea, a alta do preço do glifosato acarretou em acréscimo de 23% na lavoura, enquanto o plantio tradicional teve alta de 14,3%. No geral, o cultivo da soja transgênica teve 7,5% de aumento de custo operacional, enquanto a tradicional ficou em 3,8%. Pelos cálculos do Cepea, para cada R$ 1 investido na produção convencional, o retorno ao produtor é de R$ 0,31 (31%) enquanto para a geneticamente modificada confere retorno de R$ 0,30 (30%). Ao fim, a comercialização de cada saca de soja convencional deve dar ao produtor R$ 0,27 mais que o saldo obtido com a transgênica.

Custo maior – Conforme o Cepea, os reajustes aplicados aos fertilizantes e ao glifosato da safra 2006/07 para a 2007/08 de soja no Centro-Oeste são históricos, superando 30% em um ano. O custo operacional da safra ainda é maior com a redução de preços de produtos como inseticidas, fungicidas e alguns herbicidas. No Estado, a soja convencional está orçada em R$ 1.015,77 por hectare na região de Maracaju e em R$ 969,44/ha em Caarapó. O levantamento apontou que o adubo básico para plantio de soja no Mato Grosso do Sul ficou em média 30% mais caro.

Foi observada queda nos preços de insumos como o inseticida (12%) e fungicida (19%). Ainda assim, o custo operacional efetivo ficou 3,35 maior, passando de R$ 984,40 na safra 2006/07 para R$ 1.016,95 no plantio atual.

Pela análise da relação de troca dos agricultores, Mato Grosso do Sul teve redução de um terço no poder de compra nesta safra. No plantio anterior, os sojicultores de Caarapó tiveram o melhor impacto na relação de troca de soja pelo insumo, havendo a necessidade do equivalente a apenas 0,27 saca de soja (16,2 quilos) para a compra de um litro de glifosato. Já neste ano, foi preciso 60% a mais de soja, ou 0,43 saca (25,5 quilos) por litro.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE