PUBLICIDADE

Preso na fronteira rapaz acusado de degolar casal em São Paulo

Na delegacia, ao checar, foi constatado que era procurado pela morte do casal. Whashington deve ser entregue às autoridades brasileiras

| POR DAYENE PAZ/CAMPO GRANDE NEWS


Jimmy e a namorada, Caroline, mortos em São Paulo. (Foto: Divugação)

Whashington Elias Reliquias de Souza Sarmento, de 29 anos, foi preso nesta sexta-feira (1º) pela Polícia Nacional, na cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, que faz fronteira com Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande. Ele é apontado como autor dos assassinatos de Caroline Batista Froes, de 22 anos, e Jimmy Pereira da Silva, 21, no interior de São Paulo.

O casal foi encontrado morto no dia 23 de novembro, após denúncia anônima. Na casa, do Bairro Parque das Nações, em Birigui (SP), a polícia encontrou os corpos de Caroline e Jimmy. As vítimas estavam nuas, com cortes profundos no pescoço e escondidos sob um colchão. O casal assassinado não tinha passagem criminal.

Motivação - Segundo apurado, Whashington e a companheira, Kathlen da Silva Ferreira, de 24 anos, chamaram Caroline e Jimmy para uma festa na casa dos suspeitos, onde ingeriram bebidas alcoólicas e usaram drogas. Todos se conheceram em uma conveniência de Birigui.

Kathlen desistiu de fugir para o Paraguai e foi presa. Ela contou à polícia que no dia do crime Jimmy tentou abusá-la, então, Whashington a defendeu e matou o rapaz. Caroline quis chamar a polícia e também foi morta. Kathlen nega ser autora das facadas e teve a prisão temporária decretada. Ela não tem passagens criminais, mas o companheiro tem ficha na polícia.

Após cometer os assassinatos, Whashington pediu dinheiro em um grupo do WhatsApp para fugir. Nesta sexta-feira, ele foi abordado em atitude suspeita pela Polícia Nacional, quando estava na Avenida Intendente Carlos Dominguez com a Rua Cedro da Fração Reis Católicos, em Pedro Juan Caballero. Na delegacia, ao checar, foi constatado que era procurado pela morte do casal. Whashington deve ser entregue às autoridades brasileiras. 

Whashington, preso em Pedro Juan Caballero. (Foto: Ponta Porã News)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE