PUBLICIDADE
Geral

PM desbloqueia BR usando gás, bombas e tiros de borracha

| TV MORENA


 

A BR 163, próximo a Anhanduí, foi desbloqueada na tarde desta segunda-feira, durante ação do Batalhão de Choque da Polícia Militar. Utilizando bomba de efeito moral, gás lacrimogêneo e tiros de borracha os policiais dispersaram os manifestantes do Movimento Sem-Terra , liberando o trânsito. Durante a ação cinco carros de passeio foram apreendidos e 16 pessoas foram detidas e encaminhadas para o 4º DP, em Campo Grande. Não houve feridos.

Todos os detidos serão autuados por desacato. Depois de indiciados no 4º DP, no bairro Moreninhas, os sem-terra serão liberados.

Os sem-terra bloqueam nesta segunda-feira seis pontos de três rodovias federais em Mato Grosso do Sul, em protesto iniciado na sexta-deira para evitar a saída de Luiz Carlos Bonelli da superintendência do Incra. Somente no trecho da BR-163, na saída para Três Lagoas, se concentraram pelo menos 500 manifestantes.

Entre Dourados e Rio Brilhante, quase 300 pessoas da Fetagri bloquearam a BR-163, principal acesso da região sul a Campo Grande. A estrada foi fechada às 7h. Uma hora após o início do protesto o congestionamento chegava a 5 km.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, foram bloqueadas as BR-163 – no quilômetro 104, em Naviraí; quilômetro 180 em Caarapó; quilômetro 311 em Rio Brilhante e quilômetro 418 no distrito de Anhanduí. Na BR-262, no quilômetro 301, os sem-terra bloqueiam rodovia em Campo Grande, saída para Três Lagoas. Na BR-267, no quilômetro 500 em Jardim.

No trecho da BR-163 entre Naviraí e Itaquiraí, os sem-terra chegaram a cortar os pneus dos carros de alguns condutores. Motoristas de caminhões com cargas perecíveis e até mulheres gestantes estão impedidos de seguir viagem.

Os sem-terra temem que a entrada de um novo superintendente possa atrasar os processos de demarcação de terras. O nome indicado pelo senador Valter Pereira (PMDB) é Flodoalvo Alves.

O coordenador da FAF (Federação da Agricultura Familiar) de MS, Paulo César Farias, disse que os movimentos não irão permitir a posse do novo superintendente que, segundo especula-se, poderia ocorrer ainda esta semana. Ele disse que os movimentos estão unidos e vão ocupar o Incra se não houver negociação. “Ele [Flodoaldo Alencar] pode até ser nomeado, mas não vamos deixá-lo tomar posse”, promete.

A indicação de um nome à Superintendência do Incra seria um acordo entre o senador Valter Pereira e o governo federal em troca de um voto a favor da prorrogação da CPMF. Em resposta à mobilização dos trabalhadores rurais, o senador Valter Pereira disse que o movimento é “orquestrado” pelo atual superintendente que, segundo ele, não gostaria de se afastar do cargo.

O senador também critica a gestão de Bonelli, dizendo que ele costuma apresentar apenas números de assentamentos realizados, sem mostrar os resultados obtidos, e que uma ida aos locais mostra que se transformaram em “favelas rurais”.

Valter Pereira disse que Flodoaldo é uma das principais autoridades do país em cooperativismo e por esse motivo foi indicado para a função. Flodoaldo já foi presidente da OCB (Sindicato e Organizações das Cooperativas do Brasil - Mato Grosso do Sul).

Segundo a Secretaria de Justiça de Segurança Pública ( Sejusp) o trecho da BR 163 com BR 487 entre Naviraí e Iguatemi, o trecho da BR 163, entre Jutí e Caarapó e a rodovia MS 156, próximo a Tacuru, ainda continuam bloqueados.

A notícia já foi divulgada em rede nacional pela Globo.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE