PUBLICIDADE

Economia de Mato Grosso do Sul cresce o dobro da média nacional

Apesar de os números do IBGE não terem recorte regional, a perspectiva local é o dobro do cenário nacional

| SÚZAN BENITES/CORREIO DO ESTADO


Produção recorde, aumento das exportações e agroindustrialização impactam o bom desempenho da economia de MS - Foto: Gerson Oliveira

O Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no País, cresceu 2,9% no ano passado, totalizando R$ 10,9 trilhões. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o resultado foi puxado pelo crescimento recorde da agropecuária, de 15,1%.

Apesar de os números do IBGE não terem recorte regional, a perspectiva local é o dobro do cenário nacional.

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc) aponta que Mato Grosso do Sul tem crescimento estimado de até 6%.

De acordo com o titular da Semadesc, Jaime Verruck, os resultados recordes para a agropecuária, a agroindústria e as exportações fazem com que a estimativa indique novamente um aumento acima da média nacional.

“Temos a expectativa de que Mato Grosso do Sul deve ter um crescimento da ordem de 5% até 6%. Isso é uma estimativa nossa, decorrente desse crescimento nacional, e esse número deve se confirmar depois das contas regionais”, avalia Verruck em entrevista ao Correio do Estado.

Assim como no panorama nacional, MS também teve bons resultados no agronegócio. Conforme já publicado pelo Correio do Estado, a safra de soja 2022/2023 registrou recorde: foram 15 milhões de toneladas colhidas.

Na balança comercial, Mato Grosso do Sul também encerrou o ano passado com o maior saldo de toda a série histórica, quando atingiu um superavit total de US$ 7,56 bilhões (R$ 36,9 bilhões).

“Puxado pelas exportações, com recorde na balança comercial, tivemos também uma recuperação da safra de soja, um incremento na produção de celulose no Estado, principalmente a questão da expansão de eucalipto. Então, é essa a força da agroindústria e da agropecuária, permitindo que a gente consiga novamente ter um crescimento acima da média nacional”, ressalta o titular da Semadesc.

O mestre em Economia Eugênio Pavão reforça que Mato Grosso do sul, além da forte presença na produção, hoje também se destaca com grandes investimentos na agroindustrialização.

“A atração de investimentos grandiosos no setor florestal consolida a internacionalização do PIB de MS. Então, temos uma economia agroexportadora e pujante”, comenta.

Conforme Verruck, o crescimento da economia do Estado veio com base sólida em 2022 e superou as expectativas em 2023, e o cenário deve se repetir para este ano.

“Acreditamos que realmente MS cresceu acima da média nacional no ano passado, e que a gente espera que tenha essa perspectiva para este ano também”, afirma.

Doutor em Administração, Leandro Tortosa também reforça que o crescimento local tem se destacado no comparativo com a média nacional.

“Para o PIB de Mato Grosso do Sul, principalmente, eu acredito que vá ter um resultado positivo, também por conta de uma safra recorde de grãos que nós tivemos, na soja e no milho. Então, quando sair algum dado, ainda que seja parcial de MS, é muito provável que a gente veja também um crescimento”, corrobora.

A coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, explica que o resultado recorde da agropecuária, superando a queda apresentada em 2022, teve influência do crescimento da produção e do ganho de produtividade da agricultura.

“Esse comportamento foi puxado muito pelo crescimento de soja e milho, duas das mais importantes lavouras do Brasil, que tiveram produções recordes registradas pelo LSPA [Levantamento Sistemático da Produção Agrícola]”, especifica.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE