PUBLICIDADE
Caarapó

Vereador Agripino pede por asfalto na MS 280

| ASSESSORIA


 O Vereador Agripino Benites (PT) encaminhou expediente ao prefeito Mateus Palma de Palma de Farias, aos deputados estadual Pedro Kemp e Pedro Teruel, bem como aos senadores Mariza Serrano (PSDB) Valter Pereira (PMDB) e Delcídio do Amaral (PT), solicitando aos mesmos recursos para a pavimentação asfáltica da Rodovia MS 280, principalmente no trecho que liga a Aldeia Indígena Tey Cuê ao setor urbano deste município.

 Segundo o vereador, “a presente solicitação tem por objetivo solucionar um problema sério que vem se arrastando por longa data, e por conseqüência causando transtornos e perdas irreparáveis para o desenvolvimento de nosso município”.Em sua justificativa o vereador apresenta alguns dados que, segundo ele é de grande valia para tentar sensibilizar as autoridades e lembrando, que a Aldeia, distante a 15 (quinze) quilômetros da cidade, conta hoje com 762 (setecentas e sessenta e duas) famílias, perfazendo um total de aproximadamente 4.300 (quatro mil e trezentos) índios.

 Lembramos ainda que desde os idos de 1975 nosso povo já presta serviços principalmente nas Usinas de Álcool e açúcar existentes em todo nosso estado, citando como exemplo a Usina Delbra no município de três Lagoas, Usina Agrícola Carandá, em Nova Alvorada do Sul, Usina Santa Olinda em Sidrolândia etc.

 Após o ano de 1999, os índios de nossa comunidade começaram a trabalhar com carteira assinada, vindo a totalizar atualmente mais de 400 (quatrocentos) índios que continuam prestando serviços nestas usinas em regime de contratos com duração de 70 (setenta) dias, divididos em grupos de 50 (cinqüenta) trabalhadores, que resultam num total de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), por contrato referente aos períodos de duração acima descrito.Este valor, multiplicado pelo número de grupos, chegaremos a R$ 480.000,00 (quatrocentos e oitenta mil reais), que somados no período de um ano chegaremos a R$ 1.920.000,00 (hum milhão, novecentos e vinte mil reais).

 A Aldeia conta ainda com 282 (duzentos e oitenta e dois) indígenas aposentados que recebem o valor de R$ 350,00 (trezentos e cinqüenta reais) mensal, que somados chegamos a R$ 98.700,00 (Noventa e oito mil e setecentos reais) que no final do ano, adicionados ao décimo terceiro salário, chegamos ao valor de R$ 1.231.000,00 (hum milhão duzentos e trinta e um mil reais).

 Contamos ainda com um benefício pago pelo governo federal no valo de R$ 1.500,00 (hum mil e quinhentos reais) a cada criança nascida, onde temos em média 150 (cento e cinqüenta) nascimentos anual, perfazendo um valor de R$ 225.000,00 (duzentos e vinte e cinco mil reais), onde contamos ainda com a bolsa família que atende a 940 (novecentas e quarenta) crianças no valor de R$ 24.000,00 (vinte e quatro mil reais) por mês, que totaliza anualmente R$ 225.600,00 (duzentos e vinte e cinco mil e seiscentos reais)A Aldeia Tey Cuê conta ainda com 66 índios funcionários públicos com renda mensal em média de R$ 500,00 (Quinhentos reais), totalizando mensalmente R$ 33.000,00 (trinta e três mil reais) que também somados aos doze meses totalizam R$ 429.000,00 (quatrocentos e vinte e nove mil reais).

 Enfim, tudo o que se arrecada em nossa aldeia somados chegam a R$ 4.030.600,00 (quatro milhões, trinta mil e seiscentos reais), os quais são todos colocados no comercio de Caarapó, dados estes que nos levam a solicitar uma atenção especial as necessidades existentes na pavimentação desta rodovia que é o único meio de ligação de nossa Aldeia ao setor urbano da cidade, aonde vamos diariamente em busca de tratamento médico, compras, enfim estamos diariamente enfrentando as dificuldades que esta estrada tem nos proporcionado.Além do mais, não só a Aldeia Tey Cuê tem sido prejudicada pela má condição desta rodovia, mas também os produtores rurais desta região que sofrem perdas enormes com as dificuldades para o escoamento daquilo que produzem.

 Lembramos mais uma vez que Caarapó é um município altamente produtivo, sendo inclusive um município com maior índice de arrecadação do estado, e principalmente produtor de renda e emprego, merecendo desta forma uma maior atenção por parte dos Senhores, que são sem dúvida nenhuma nossa força que sem dúvida nenhuma nos ajudarão a trazer para Caarapó esta obra de fundamental importância.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE