PUBLICIDADE

Fecomércio MS, em parceria, constrói casa em comunidade de Campo Grande

A casa, com 52 m2. recebeu da Federação, construção, mão de obra e doação tanto de material quanto da mobília

| ASSESSORIA


Foto: Divulgação

O presidente da Fecomércio MS, Edison Araújo, participou da entrega de uma casa já mobiliada na comunidade Aguadinha, em Campo Grande. A residência será da diarista Leliane Pereira de Barros Souza, que mora na região há quatro anos.  A iniciativa é uma parceria da instituição com o movimento social “Ajudar faz bem” e o dep. Pedro Pedrossian Netto.  A casa, com 52 m2. recebeu da Federação, construção, mão de obra e doação tanto de material quanto da mobília. “Agradeço todos que ajudaram a termos uma moradia digna, sem precisar ter receio da chuva que, em outras ocasiões, já levou tudo o que tínhamos”, conta Leliane.

O deputado estadual Pedro Pedrossian destacou a importância do ato: “é importante que consigamos tirar o sonho do papel e construir uma realidade diferente com o apoio de pessoas do bem, que querem o melhor para as famílias que estão em situação de vulnerabilidade”. O deputado explicou que foi por meio da Federação que conseguiram agilizar a iniciativa. “foi fundamental o apoio na ajuda de levantar todos esses recursos, abrindo portas para que pudéssemos fazer a construção dessa casa.”

A idealizadora do movimento social “Ajudar faz bem”, Milla Maysa Alves, atende a comunidade há cinco anos e, emocionada, relembrou a dificuldade inicial para erguer a residência. “Nós recebemos muitos ´não´ mas também tivemos uma jornada de muitos ´sim´ até chegar nesse momento de devolver dignidade a uma família. É menos uma que não verá seus pertences perdidos na chuva, estará segura em dias de frio. Se não podemos mudar o mundo, podemos ajudar uma família”.

Esta é a terceira casa entregue pelo movimento no bairro, que conta com 102 famílias. O presidente da Fecomércio, Edison Araújo, explicou que o apoio ao projeto é uma tentativa de sensibilizar outros empresários do setor de comércio, principalmente os de material de construção, para que possamos construir muito mais casas e doar para as pessoas mais necessitadas. “Queremos continuar esse projeto e atender outras famílias, se os comerciantes também se engajarem nesse projeto social”.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE