PUBLICIDADE

Apesar da morte do sogro, Lula mantém agenda na Capital

Nota de pesar assinada pelo presidente foi divulgada na página oficial do governo às 13h56 (horário de Brasília), o que fez aumentar os rumores

| ANAHI ZURUTUZA/CAMPO GRANDE NEWS


Lula e Janja durante o programa Conversa com o Presidente em dezembro do ano passado (Foto: Canal Gov/Divulgação)

Apesar da morte do sogro, o pai da primeira-dama, Rosângela Lula da Silva, a Janja, na noite desta quarta-feira (10), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) manteve a agenda em Mato Grosso do Sul. Ele virá à Campo Grande para acompanha o primeiro embarque de carga de carne que será exportada pela JBS, uma das gigantes mundiais no ramo de alimentos, para a China.

Nesta quinta-feira (11), correu entre a militância petista, que para fazer companhia à mulher em luto, Lula deixaria de vir à Capital e mandaria o vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB).

Nota de pesar assinada pelo presidente foi divulgada na página oficial do governo às 13h56 (horário de Brasília), o que fez aumentar os rumores. “Venho, através desta, confirmar o falecimento de seu José Clovis da Silva, 83 anos, pai da minha esposa Janja Lula da Silva, na noite de ontem (10), em Curitiba, por falência de múltiplos órgãos. Em respeito a seu Clovis, a Janja e à família, peço que respeitem a privacidade deste momento”, diz o texto.

Janja já havia perdido a mãe em 2020. Vani Terezinha da Silva morreu após contrair covid-19.

Segundo o jornal O Globo, o corpo de José Clovis foi cremado hoje no Crematório Vaticano, no município de Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba.

Apesar do ruído, no início da tarde de hoje, o Palácio do Planalto confirmou ao Campo Grande News o compromisso de Lula no Estado. O credenciamento da imprensa segue sendo feito e na planta da JBS da saída para Sidrolândia, em Campo Grande, continua a montagem da estrutura para receber o presidente a partir das 9h de amanhã (horário de MS). 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE