PUBLICIDADE
Caarapó

Autoridades discutiram a segurança pública de Caarapó

Prefeito e vereadores de Caarapó discutiram com autoridades competentes a segurança pública do município em Campo Grande

| ASSESSORIA


 

O prefeito de Caarapó, Mateus Palma de Farias (PR), reuniu-se na tarde da última quinta-feira com autoridades do governo do Estado, em Campo Grande, para discutir problemas de segurança pública em Caarapó. Foram realizadas audiências na Secretaria de Justiça e Segurança Pública e na Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen).

Acompanharam o prefeito nas audiências o presidente do Conselho Comunitário de Segurança Pública de Caarapó, José Elnício Moreira de Souza, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Subseção de Caarapó, Gilberto Francisco de Carvalho, o presidente da Câmara de Vereadores, Aparecido dos Santos (PR), e os vereadores Sérgio Sacoman (PP), Cláudio Felício Gedro (DEM), José Carlos Fagundes (PTB) e Mário Valério (PR).

Mateus Palma de Farias apresentou ao órgão estadual de Segurança reivindicações que incluem a transferência da administração da cadeia de Caarapó à Agepen, a designação de mais agentes de polícia civil e aumento do efetivo policial militar, além de uma delegada mulher para o Município.

Ainda compõem o rol de reivindicações a adequação do quadro de veículos das polícias Civil e Militar, com aumento da cota de combustíveis, a construção de posto da Polícia Rodoviária Estadual na rodovia MS-156, entre Caarapó e Amambai, e melhorias físicas no prédio do Pelotão da PM.

Na Secretaria de Segurança, o prefeito de Caarapó se encontraria com o secretário Wantuir Jacini, mas foi recebido pelo chefe de gabinete José Lázaro Pereira de Oliveira e pelo comandante-geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, coronel Geraldo Garcia Ortiz. O secretário havia sido convocado para uma reunião no mesmo horário com o governador André Puccinelli (PMDB).

Na Agepen, Mateus Palma de Farias foi recebido pelo diretor do órgão, coronel Hilton Villassanti Romero. “Apresentamos ao diretor da Agepen as nossas preocupações em relação à cadeia pública de Caarapó, que hoje é cuidada por policiais, o que caracteriza um desvio de função”, informou o prefeito, que pediu que o órgão encampe a cadeia pública de Caarapó, “a fim de liberar os agentes policiais para o exercício da sua função de investigar crimes”.

As reivindicações do prefeito de Caarapó para a área de segurança pública têm o apoio formal da Câmara de Vereadores, Conselho Comunitário de Segurança, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), subseção local, e Sindicato Rural, cujos representantes assinaram os documentos entregues às autoridades do governo de Mato Grosso do Sul.

Em relação aos problemas de segurança registrados no Município, Mateus Palma de Farias disse que, com as oportunidades de emprego que estão surgindo em Caarapó a partir da instalação de novas indústrias, a população está crescendo e isso gera novas demandas em todos os setores, inclusive na área de segurança pública.

“Essa situação de desenvolvimento pela qual Caarapó está passando gera também problemas, pois ao lado de coisas boas vêm também coisas ruins, mas estamos atentos no sentido de adotarmos medidas que reduzam possíveis impactos negativos”, declarou o prefeito.

A prefeitura repassa R$ 2 mil mensais ao Conselho Comunitário de Segurança, que são gastos com manutenção de viaturas policiais e combustíveis. “É claro que a segurança pública é de responsabilidade do governo do Estado, mas nós não podemos nos omitir diante dos problemas que a nossa população enfrenta. Dessa forma, também damos a nossa colaboração para a solução desses problemas”, justificou o prefeito. “Confiamos numa resposta favorável às nossas reivindicações por parte do governo do Estado, pois a nossa população espera por mais ações efetivas no campo da segurança pública”, concluiu.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE