PUBLICIDADE
Caarapó

Administradora da Funai é feita de refém por índios em Cpó

A administradora regional da Funai (Fundação Nacional do Índio) do Conesul, Margarida Nicoletti, foi feita de refém hoje pela manhã por lideranças indígenas da aldeia Tey Cuê, em Caarapó.


 

A administradora regional da Funai (Fundação Nacional do Índio) do Conesul, Margarida Nicoletti, foi feita de refém hoje pela manhã por lideranças indígenas da aldeia Tey Cuê, em Caarapó.

Os índios guarani-cauiás são contra a demissão do chefe núcleo da Funai em Caarapó, Sílvio Paulo, anunciada nesta semana pela direção regional do órgão. Margarida teria ido até a aldeia para tentar negociar com as lideranças e acabou sendo feita de refém.

Segundo o cacique da aldeia Tey Cuê, Zenilton Isnardi, uma pessoa não índia já teria sido escolhida para ocupar o cargo de chefe do núcleo da Funai em Caarapó. Os índios não aceitam a mudança. “Ela disse que tem denúncias de irregularidades do Sílvio Paulo. Então, ela traga esses documentos aqui e mostre para a comunidade. Enquanto isso, ela vai ficar detida aqui dentro da aldeia”, comentou o cacique.

Para protestar contra a mudança na chefia do núcleo da Funai no município, ontem, os índios bloquearam a rodovia que liga Caarapó a Laguna Caarapã.

Segundo apurou a reportagem do CaarapoNews junto aos indígenas, a pessoa branca indicada para substituir Silvio Paulo, seria Adão Candado, ex-chefe do DETRAN em Caarapó, e que é ligado ao partido dos trabalhadores.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE