PUBLICIDADE
Caarapó

Índios fecham rodovia e fazem oficial de justiça de refém

Os indigenas de Caarapó mantém a rodovia MS-280 interditada e um oficial de justiça como refém.

| DOURADOSAGORA


 

Centenas de indígenas da Aldeia Tey Kue estão bloqueando a MS 280, de acesso entre Laguna Carapã e Caarapó. A rodovia é utilizada para a escoar a safra e o bloqueio já está causando transtornos a caminhoneiros e outros motoristas que estão em fila, parados, aguardando a chegada de alguma autoridade. Apenas ambulâncias para atendimento interno aos nativos terão licença para passar.

O cacique Zenildo Isnardi, disse ao site DouradosAgora que o bloqueio acontece em protesto pela desativação da seção eleitoral, onde cerca de 1.600 indígenas costumam votar em eleições gerais e outras. Isnardi conta que recebeu com surpresa e indignação a notícia de que os cerca de 1.500 indígenas teriam que percorrer a partir de agora, cerca de 20 quilômetros para votar no município de Caarapó.

Ele ficou sabendo da decisão quando recebeu o Edital de Convocação do Conselho Tutelar. "Vimos que nossa seção não constava e resolvemos reagir", diz. Isnardi diz que a alegação é de que haveria compra de votos e que os indígenas estariam sendo manipulados para favorecer determinados políticos.

Isnardi garante que os cerca de seis mil indígenas que vivem na Tey Kue estão dispostos a se revezar para manter bloqueada a pista.

O congestionamento já chega a dois quilômetros. No interior da aldeia, um Oficial de Justiça que costuma entregar intimações aos índios acabou sendo detido. Isnardi diz que o primeiro nome dele é Ládio, mas não quis contar mais nada. O cacique apenas adiantou que a comunidade nativa não pretende agir com truculência. Mas também acrescentou que "a polícia só vai passar pela estrada se houve necessidade". Embreve mais informações. (Colaborou Hedio Fazan)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE