PUBLICIDADE
Geral

Funasa lança Campanha de Vacinação dos indígenas em Caarapó

| ASSESSORIA FUNASA MS


O Coordenador Regional da Funasa de Mato Grosso do Sul, Flávio Britto, abre oficialmente no próximo dia 7 de maio (quarta-feira) às 13 horas na Escola Nhandeara – Aldeia Caarapó, o Mês de Vacinação dos Povos Indígenas.

Serão disponibilizadas todas as vacinas do calendário do Ministério da Saúde além de imunização contra Varicela e Pneumonia, vacinas estas disponíveis gratuitamente para a comunidade indígena.

A estratégia da campanha é vacinar menores de 5 anos de idade, mulheres em idade fértil e população indígena acima dos 60anos, hoje estimada em aproximadamente 4 mil idosos.

A população total de crianças menores de cinco anos nas 72 aldeias de Mato Grosso do Sul é de 9.711 crianças, destas apenas 6% necessitam de vacina, as demais estão em dia com o calendário de imunização. Na faixa etária entre 11 e 50 anos,aproximadamente 30 mil pessoas deverão ser vacinadas.

Já no dia 28 de abril inicia-se a campanha de vacinação contra a gripe para indígenas à partir dos 6 meses de idade. A imunização acontecerá nas aldeias de Amambaí, Paranhos, Aquidauana e Caarapó.

De acordo com o coordenador regional da Funasa de Mato Grosso do Sul, Flavio Britto, “é fundamental manter nossos índices de vacinação positivos, e dar continuidade ao trabalho de imunização da comunidade indígena, essa é a nossa meta, dar atenção básica á saúde”. disse o coordenador.

A campanha de vacinação dos povos indígenas vai até 30 de maio, após esse período, as vacinas continuarão a ser ministradas normalmente nos 71 postos de saúde indígena sob a supervisão das equipes multidisciplinares de saúde que fazem atendimento diário nas aldeias.

Cobertura Vacinal

Entre as crianças menores de cinco anos, cerca de 96% estão imunes à Poliomelite, BCG com 100%, Hepatite B com 98%, Febre Amarela com 98%, Varicela 97% e Pneumonia com 92% das crianças vacinadas.

Entre os adultos, 72% das mulheres e 45% dos homens estão imunes à Hepatite B, Febre Amarela com 82% para mulheres e 62% para os homens, e cerca de 76% de mulheres e 47% de homens vacinados contra Rubéola.

Os homens apresentam porcentagens de vacinação menores, pois grande parte deles trabalham em usinas, dificultando a ação das equipes multidisciplinares de saúde.

Para equacionar este problema, a Funasa em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde estará pactuando junto aos municípios que possuem usinas, elaborando um calendário de vacinação na própria usina.

Um bom exemplo é observado no município de Caarapó, onde antes de ser contratado pela usina, o indígena é encaminhado á um posto de saúde para avaliar se sua carteira de vacinação está em dia.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE