PUBLICIDADE
Caarapó

PRF prende bandidos que assaltaram camionete em Caarapó

A PRF prendeu na manhã deste domingo uma dupla com uma camionhete Mitsubishi L200, de Caarapó, tomada em assalto nesta madrugada na cidade.

| PROGRESSO


  

A Polícia Rodoviária Federal, por volta das 6h de ontem, domingo (18), prendeu uma quadrilha de assaltantes comandada por internos da Penitenciária  Harry Amorim Costa. A prisão aconteceu no quilômetro 67 da BR-467, no Posto Capeí, da base de Dourados. Foram presos Cleber dos Santos, de 26 anos, morador em Nova Andradina, Luiz Ricardo, de 21 anos, morador em Campo Grande, Maria Cristina Ramos, de 27 anos, moradora no Conjunto Habitacional Estrela Porã em Dourados, Graziela Ramos, de 18 anos, residente na Vila Vitória em Caarapó, além de Gilberto Fernando Saracho Ramos, de 21anos e Lourival de Oliveira, 32 anos, que são internos da Phac e apontados como os mentores do assalto. Gilberto cumpre pena há 2 meses por assalto e Lourival por assalto e estupro, ele está há 9 anos no presídio.

De acordo com informações policiais, Cleber e Luiz, que estavam armados, surpreenderam na noite de sábado, no município de Caarapó, quatro jovens que estavam no interior de uma caminhonete Mitsubishi L-200 de cor prata, com placas HRY8059 daquela cidade. A vítima, Maicon Vasconcelos Bernardi, de 18 anos, estava acompanhada de três amigos adolescentes.

Após o assalto, as vítimas permaneceram no veículo e foram obrigadas a seguir com o trio em direção à fronteira com o Paraguai. No posto Capeí, em abordagem policial, a caminhonete estava sendo conduzida por uma das vítimas. A polícia percebeu que se tratava de um crime e frustrou o roubo do veículo.

A dupla, que estava no interior da caminhonete, foi presa e durante interrogatório revelou que a ação estava sendo comandada por dois internos de dentro da Phac. Os dois internos foram localizados e encaminhados para prestar declarações sobre o crime. Uma das vítimas contou aos PRFs que a dupla, constantemente, ameaça o grupo de morte.

Segundo informações da PRF, o esquema funcionava com a colaboração de Maria Cristina, irmã de Gilberto e Graziela. Elas levantavam informações sobre as vítimas e levava ao conhecimento dos "cabeças" da quadrilha, que são internos da Phac. Graziela teria passado os dados para os assaltantes a cerca da vítima de Caarapó.Os policiais contam que a intenção da quadrilha seria levar o veículo até o Paraguai, onde executariam as vítimas e comercializariam o veículo. O diálogo entre os jovens seqüestrados e os assaltantes acabou denunciando a natureza do crime. A ação dos PRFs foi fundamental para a preservação da vida das vítimas.

Os seis integrantes da quadrilha foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil de Caarapó, onde foram autuados em flagrante pelo delegado Joel José da Silva, por formação de quadrilha, cárcere privado e roubo. Graziela ainda foi autuada por tráfico de droga. Durante vistoria em sua residência, em Caarapó, a polícia acabou encontrando entorpecente.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE