PUBLICIDADE
Caarapó

Indígenas de Caarapó iniciam a reconstrução de sua memória

A memória histórica dos índios Guarani-Kaiowá de Caarapó será destaque no museu do Município, que está em fase de implantação.

| ASSESSORIA


 

A memória histórica dos índios Guarani-Kaiowá de Caarapó será destaque no museu do Município, que está em fase de implantação. O processo de levantamento da história da população indígena da aldeia Te’ýikue já teve início, com a realização de encontros com os moradores da reserva, que fica a 12 quilômetros da sede do município.

O primeiro encontro aconteceu no último dia 7 de junho e teve por finalidade promover o diálogo entre os Kaiowá mais velhos da aldeia de Caarapó. “Foi promovido em grande da memória histórica a partir de imagens, como fotos antigas e filmes, comidas típicas, rezas e danças tradicionais”, explica o professor Kaiowá Eliel Benites. “Foi um marco para a história e a cultura Guarani-Kaiowá da aldeia, porque os mais velhos estavam esquecidos e não tinham espaço para expor seus conhecimentos tradicionais”, acrescenta.

No evento estavam representadas todas as regiões da aldeia.   “Observamos atentamente cada palavra e a expressão de felicidade dos idosos e idosas ao reviverem o passado, a ‘História da Aldeia’ através das lembranças da cultura e sua trajetória frente ao ‘desenvolvimento sócio-econômico’, durante o período da exploração da erva mate nativa e a frente agropastoril”, conta o professor.

Segundo Benites, o encontro permitiu às novas gerações refletir sobre a construção histórica atual, em especial, no âmbito escolar e político. “Ouvir os mais velhos da reserva nos fez pensar na luta pelos direitos dos povos Guarani e Kaiowá, que modelo de desenvolvimento econômico queremos, e principalmente em continuar a investir no fortalecimento da identidade étnica e cultural”, comentou.

Para a realização do evento, a comunidade indígena contou com o apoio da administração municipal de Caarapó, Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), através do Programa Guarani-Kaiowá e Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

Museu

O projeto “Caarapó: identidade e cidadania” – que prevê a implantação do museu municipal -, foi elaborado em fevereiro e aprovado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), órgão do MinC (Ministério da Cultura). Obteve a 12ª colocação entre 386 concorrentes de todo o País e é o único pleito de Mato Grosso do Sul aprovado pelo Departamento de Museus e Centros Culturais do MinC.

O processo de análise dos projetos enviados ao MinC por municípios de todo o Brasil deu-se no período de 24 a 28 de março, por uma comissão especial de avaliação do Iphan. Os projetos foram examinados levando-se em conta a clareza da justificativa e coerência do projeto; razoabilidade dos custos; exeqüibilidade do plano de sustentabilidade do museu; impacto sociocultural, inclusive quanto à geração de emprego e renda; impacto institucional do projeto; e descentralização dos recursos.

A verba aprovada para o museu de Caarapó – que deverá ser instalado nas dependências do prédio onde hoje funciona a Guarda Mirim - soma R$ 56.333,00, entre recursos federais e próprios do município. “Vamos adequar um espaço para abrigar o acervo do museu, considerando a importância da memória cultural e da história do município de Caarapó”, disse o prefeito Mateus Palma de Farias (PR). O prédio da Guarda Mirim será adequado para receber o acervo cultural componente do museu de Caarapó.

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE