PUBLICIDADE
Caarapó

Chuva não dá trégua no final de semana


A chuva não vai dar trégua neste final de semana em Dourados, segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC). Bom para o setor produtivo e nem tanto para o comércio que tem esperança de faturar com vendas na véspera do Dia dos Pais.Para este sábado a probabilidade é de 80%, com volume de água estimado em 6 milímetros. A previsão é a de que chova o dia todo. No domingo a precipitação pode atingir os seis milímetros, assim como na segunda-feira, quando poderá ocorrer pancadas de chuvas isoladas, principalmente durante à tarde. A temperatura para esses três dias deve permanecer amena, variando entre 15º e 29º graus.


De acordo com o meteorologista da Embrapa, Jovair Martins, em oito dias já choveu 70,2 milímetros, quando a média total de agosto é de 50,6 mm. Neste caso, o aguaceiro já ultrapassou 26,8% do que costuma chover durante todo o mês. Na quinta-feira, a chuva chegou aos 0,4 mm. Ontem, até às 10h já havia chovido 24,8 mm.

ECONOMIA
A chuva veio em boa hora para pecuaristas e produtores. Com bom pasto, as chances de boi gordo para os próximos meses aumentam, levando a crer que alta da carne e dos alimentos em geral pode dar uma trégua ao bolso do consumidor.


Em Mato Grosso do Sul, a falta de chuvas nos últimos três meses castigou as principais culturas. Para se ter uma idéia, o milho chegou a perder 45% da produtividade na região da Grande Dourados. Em nível de Estado, as perdas comprometeram 30% da safra. A expectativa é de que com boas chuvas o feijão tenha produção recorde e freie a alta dos preços.


O pasto também vai precisar de uma "forcinha" para continuar engordando o gado depois da perda de matrizes e a seca, apontada por pecuarista como um dos principais fatores à alta da carne. Para se ter uma idéia, no mês de maio a precipitação atingiu os 40 milímetros, quando deveria chover 118,4 milímetros. Em junho choveu 14 milímetros, quando este número deveria ser de 74,6 mm. Em julho, estava previsto um volume de água de 38 milímetros, o que não aconteceu. A umidade relativa do ar está em torno de 25%, quando deveria ser 60%. A temperatura é de verão, apesar de estar na estação de inverno. Segundo Jovair, a mínima é de 14º e a máxima é de 28º graus.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE