PUBLICIDADE
Caarapó

Hoje é dia de vacinação contra a rubéola em Caarapó

Caarapó quer vacinar contra a rubéola, 95% de homens e mulheres com idades entre 20 e 39 anos no município neste sábado.

| CAARAPONEWS


 

Caarapó quer vacinar  contra a rubéola, 95% de homens e mulheres com idades entre 20 e 39 anos no município.  

As doses estão disponíveis em 9 unidades de saúde do município que estarão funcionando neste sábado das 8h às 17 horas.

Os dias “D” da campanha acontecem hoje e 30 de agosto, quando, além da imunização contra a rubéola para adultos, as crianças menores de cinco anos vão receber a segunda dose da vacina contra a poliomelite.

Na reserva, os indígenas terão disponíveis as doses das vacinas contra sarampo, rubéola, e caxumba, num intervalo de 30 dias. O dia “D” desta campanha, acontece no dia 16.

De acordo com secretaria municipal de saúde do município, o principal alvo da vacina é o público masculino. Segundo estatísticas, nos últimos tempos a doença vem avançando muito entre a população masculina, já que as mulheres foram vacinadas em campanhas anteriores. Na última pesquisa, foi constatado que 80% dos casos de rubéola envolviam os homens.

A vacina é contra-indicada para gestantes. A recomendação é que as mulheres evitem engravidar num prazo de 30 dias, para prevenir qualquer reação. Quem tomar a vacina, não pode doar sangue num prazo de 30 dias. Todos devem ter em mãos a caderneta de vacinação ou um documento pessoal. Vencido o prazo da campanha, as vacinas estarão disponíveis em todos os postos de saúde do município. As vacinas são gratuitas.

 

Confira os postos de vacinação

 

Ø            PSF I, Bairro Santo Antônio;

Ø            PSF II, Vila Setenta;

Ø            PSF III, Vila Planalto;

Ø            PSF IV, Vila Jary;

Ø            Ambulatório do Hospital São Mateus, Centro;

Ø            Guarda Mirim, Vila Planalto;

Ø            PAM, Vila Planalto;

Ø            Posto de Saúde de Nova América;

Ø            Posto de Saúde de Cristalina;

 

 

DOENÇAA rubéola é uma doença viral, aguda e de alto grau de contágio, sendo de extrema gravidade durante a gestação pelo risco de má formação crônica do feto. A transmissão se dá por meio do contato direto com gotículas de secreção nasal e da faringe dos indivíduos infectados ou objetos contaminados.

Segundo Sandro Ávalos, os homens contaminados pela rubéola podem transmitir o vírus para mulheres em idade gestacional. Os sintomas são semelhantes aos da gripe: febre, dor de cabeça, dor ao engolir, dores nas articulações e nos músculos, pele seca, congestão nasal, espirros, manchas na pele e aumento dos gânglios linfáticos (ínguas). O diagnóstico é obtido pelo exame sorológico. O tratamento é realizado à base de antitérmicos e analgésicos, como forma de controlar as dores articulares e musculares ou a febre.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE