PUBLICIDADE
Caarapó

Motorista fica 14 horas em cativeiro e perde carreta

Motorista é seqüestrado em Dourados, tem caminhão tomado em assalto e é deixado em Caarapó. Carreta é recuperada em SP

| DOURADOSAGORA


  

O motorista douradense Roberto G. Pacheco, 47, viveu momentos de terror na última quarta-feira. Por mais de 12 horas, o motorista ficou sob a mira de três homens encapuzados e fortemente armados.

Por volta de 17h30 de quarta, Roberto Pacheco seguia pela MS-156, próximo ao DID (Distrito Industrial de Dourados), em um caminhão Iveco/Fiat, com placas HRO-9060, branco, quando foi rendido por três desconhecidos armados. Ele foi levava para um local isolado na região do distrito de Cristalina, em Caarapó, onde foi amarrado e mantido sob a mira de uma arma até a manhã de ontem.

Por volta das 8h, os assaltantes abandonaram Roberto G. Pacheco amarrado na mata e fugiram com o caminhão. O motorista conseguiu se desvencilhar da corda e fugir em busca de socorro. Por volta das 12h de ontem, ele chegou a Caarapó, onde relatou o fato a Polícia Militar.

 Carreta roubada em Dourados é apreendida em SP

A Polícia Federal de Presidente Prudente ,São Paulo, comunicou a Polícia Civil de Dourados a apreensão da carreta modelo 450 branca com placas HRO 9060 e ASA 3311 e ASA3222 de Dourados de propriedade de Roberto Gimenez Pacheco, de 42 anos, morador na Vila Cuiabá.

O veículo foi tomado em assalto na última quarta-feira. Conforme a polícia, após o roubo o veículo foi utilizado para o tráfico de entorpecente e foi apreendida com 400 quilos de maconha. Conforme noticiou o Douradosagora, Pacheco foi rendido por três homens encapuzados e armados, anteontem por volta das 17h30, na MS 156, quando se aproximava de uma empresa no Distrito Industrial. 

O motorista foi obrigado a seguir o trio até o Distrito de Cristalina, município de Caarapó, onde os bandidos tomaram a direção e fugiram levando a carreta. Enquanto dois levavam o veículo embora, ele ficou sob a custódia do terceiro homem, num matagal próximo a Cristalina. Pacheco ficou encapuzado e só foi libertado cerca de 14 horas depois.

Os marginais deixaram a vítima numa estrada vicinal, que liga Dourados a Caarapó. Por volta do meio-dia, ele conseguiu contatar a polícia e registrou o boletim de ocorrência.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE