PUBLICIDADE
Caarapó

Mudança de fuso horário divide opiniões em Caarapó

Mudança de fuso horário divide as opiniões entre os moradores de Caarapó.

| CAARAPONEWS


 

Por Silmara Diniz e André Nezzi 

Estão tramitando no Senado dois projetos sobre a mudança de fuso horário nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Os projetos são de autoria dos senadores Delcídio Amaral (PT/MS) e Jayme Campos (DEM/MT) e visam igualar o horário dos dois estados ao horário de Brasília, que é o adotado nos principais centros econômicos do país.

A diferença entre os projetos é que no projeto do senador mato-grossense há a referência à utilização de um plebiscito, para ouvir a opinião da população desses estados. Delcídio acredita que a medida não é necessária. Segundo ele as mudanças no fuso horário sul-mato-grossense têm caráter técnico e são pautadas em interesses comerciais e das emissoras de TV.

A discussão, que sempre virou pauta no horário de verão, neste ano ficou mais forte quando a Rede Globo alterou a grade de programação nos estados que tem fuso horário diferente de Brasília.

Todas as pesquisas feitas em Mato Grosso do Sul por institutos de pesquisa, programas de televisão, sites e instituições mostraram a população a favor da mudança. Pesquisa realizada pelo CRA/MS (Conselho Regional de Administração) mostra que 70% dos entrevistados são a favor da mudança de horário. No site Midiamax, 63,13% dos entrevistados optam pela mudança no horário, enquanto 36,06% são contra.

Médicos contrários ao novo horário afirmam que a mudança de horário afetará o ciclo biológico dos sul-mato-grossenses, que acordarão uma hora mais cedo, o que acarretará transtornos físicos, stress e outros distúrbios, como a queda do rendimento dos alunos, por exemplo. O médico oncologista Adalberto Siufi considera que “a mudança no horário do Estado não traz nenhum benefício para a população, ao contrário disso, só dá prejuízos, principalmente para a saúde”.

Por outro lado, para quem defende a mudança, como o próprio senador Delcídio Amaral, o principal motivo é a economia do Estado, que com o horário igualado aos grandes centros econômicos do Brasil, haveria integração e melhores negócios.

Em Caarapó, o cenário não é diferente e as opiniões se dividem. Para a farmacêutica Paula Luisa, caarapoense que trabalha em Dourados, a mudança de horário facilitaria os negócios: “Sou a favor, principalmente pelo meu trabalho. Compro tudo de São Paulo e o fuso horário às vezes atrapalha”. O assessor de comunicação da prefeitura, Dilermano Alves, também se diz a favor da mudança: “Não vejo motivos, a não ser técnicos, para o horário ser diferente de São Paulo, por exemplo”, disse.

O gerente da Granos Corretora em Caarapó, Leonardo Smolii Lima, não concorda em igualar o horário de Mato Grosso do Sul com o da capital do Brasil. Segundo ele, “o fuso horário já existe para determinar o horário de cada região, de acordo com a luz solar. Se igualarmos o nosso horário ao horário de Brasília, comercialmente pode até ser favorável, mas para saúde, escolas e tantas outras coisas, seremos totalmente prejudicados”. O advogado Raimundo Paulino da Rocha compartilha da opinião de Leonardo: “Já imaginou horário de verão? Agora já seriam 10h [hora da entrevista]. O dia começaria e ainda seria noite”, afirma.

 

Horário de verão aumenta o dia do caarapoense

Por falar em mudanças no horário, no último dia 19 começou o horário de verão em três regiões do país, inclusive em Mato Grosso do Sul. O horário deve se estender até o dia 15 de fevereiro de 2009 e economizará energia, nas expectativas do governo, de 4 a 5% (o equivalente a 2.000 MW, suficiente para abastecer uma cidade com 6 milhões de habitantes) nos horários de pico.

O sol forte no horário que de costume já é noite parece não incomodar parte dos caarapoenses. Confira as respostas que o CaarapoNews recebeu para a pergunta “O que você acha do horário de verão?”.

*José Carlos, assessor de comunicação da prefeitura: “Eu acho bom. No início a gente estranha, mas depois acostuma, além da economia que gera nas empresas ou comércio com o gasto de energia, fica mais fácil pra fazer uma caminhada, tomar um tereré, fazer compras, tudo isto antes de escurecer, sou até a favor de normalizar o nosso horário com o de Brasília, gostaria que fosse aprovado”;

*Paula Luisa, farmacêutica: “Eu gosto, pois o dia dura mais, dá tempo de fazer atividade física, saio do trabalho e ainda é dia”;

*Anderson Gomes, funcionário da Realizza Corretora: “Eu levanto mais cedo e aproveito mais o dia e dá mais tempo para tomar uma”;

*Márcio Baratella, Distribuidora de Bebidas Regina: “Dá para aproveitar mais o dia ué, a gente que trabalha bastante (risos)”;

*Leonardo Smolli Lima, Granos Corretora: “Imagino ser uma boa opção para alguns, mas que prejudica a forma de vida das pessoas, visando lucro e economia mal aplicados que deveriam beneficiar a população e não somente visar lucro e economia, pois não muda nada nas taxas de energia elétrica o horário de verão”.

*Flávia Gotardi, fúncionária do Sindicato Rural: “Eu não gosto do horário de verão, temos que levantar mais cedo, e quando pegamos o ônibus para faculdade ainda está de dia, é ruim”


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE