PUBLICIDADE
Caarapó

PC de Caarapó divulga retrato falado de assassino

A Polícia Civil de Caarapó divulgou o retrato falado do assassino do produtor rural Anderson Cleber do Amaral, o "Bugão"

| A GAZETA NEWS


  Vilson Nascimento

 

 A Polícia Civil de Caarapó divulgou essa semana o retrato falado do assassino do produtor rural Anderson Cleber do Amaral, o “Bugão” de 34 anos, crime ocorrido na tarde do dia 8 de fevereiro desse ano, dentro do prédio da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) em Caarapó.

 O retrato falado do acusado, um homem aparentando entre 33 a 35 anos, de cor branca, cabelos e olhos castanhos escuros, de 1,72 de altura e pesando aproximadamente 77 quilos, foi elaborado por peritos do Núcleo de Representação Facial Humana do Instituto de Identificação Gonçalo Pereira de Campo Grande, baseado em relatos de pelo menos 4 testemunhas oculares dos fatos que deram nota 8,8 em uma escala até 10 que o individuo descrito no retrato falado é a autor do disparo que matou o produtor rural.

O Crime-Anderson Amaral foi morto momentos após sair de sua residência, situada na Rua 15 de Novembro, região central da cidade em Caarapó em companhia de seu filho, um garoto de apenas 5 anos de idade.

Segundo a polícia o produtor rural saiu de casa, adentrou ao prédio da Funasa que ficava do outro lado da rua e se dirigiu a um bebedouro para tomar água, quando foi seguido pelo assassino que adentrou a prédio e sem proferir nenhuma palavra, sacou de uma arma e executou Anderson com apenas um tiro na nuca, posteriormente deixou o local tomando rumo ignorado.

As Investigações- As investigações do caso, que estão sendo conduzidas pelo delegado titular de Polícia Civil de Caarapó, Dr. José Joel da Silva, foram iniciadas no mesmo dia do crime e, segundo a polícia, todos os indícios aponta para crime passional, já que as investigações teriam apurado, segundo o delegado responsável pelas investigações, que Anderson Amaral teria mantido relacionamentos amorosos com mulheres casadas da sociedade carapoense.

Segundo Dr. Joel da Silva, além de descobrir os motivos do crime, a Polícia Civil de Caarapó também já tem em mãos o nome de um possível mandante do assassinado e de outras pessoas envolvidas no ato criminoso.

“Com a divulgação do retrato falado esperamos prender o mais breve possível o autor do disparo que matou o produtor rural e solucionar de forma definitiva o caso”, disse o delegado ao relatar que espera contar com o apoio da sociedade de Caarapó e toda a região para prender o assassino.

“Solicitamos a quem tiver qualquer informação sobre o paradeiro do homem do retrato falado, para que entre em contado com a Delegacia de Polícia Civil de Caarapó a qualquer hora do dia ou da noite pelo telefone (067) 3453-1311 que sua identidade será mantida no mais absoluto sigilo”, concluiu Dr. Joel.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE