PUBLICIDADE
Caarapó

A.E.C, 18 anos depois equipe é lembrada com carinho

O A.E.C (Associação Esportiva Colorado), a equipe mais tradicional que já existiu no futebol amador de Caarapó, estaria comemorando 30 anos de fundação em 2008.

| CAARAPONEWS


 

Por André Nezzi

O A.E.C (Associação Esportiva Colorado), a equipe mais tradicional que já existiu no futebol amador de Caarapó, estaria comemorando 30 anos de fundação em 2008. O clube que foi criado pelo ex-vereador Joaquim Lins no ano de 1978 e logo se tornou a principal equipe de futebol da cidade de Caarapó, deixou de existir no ano de 1990, mas até hoje é lembrada com carinho por ex-jogadores, torcedores e desportistas da cidade.

O A.E.C figurava como um clube formador de atletas para o cenário do futebol sul-mato-grossense e até brasileiro. A equipe sagrou-se inúmeras vezes campeã amadora na cidade e passou a ser a referência do município em competições regionais. No ano de 1981 o A.E.C viveu um de seus grandes momentos inesquecíveis, quando enfrentou na inauguração do Estádio Municipal “Carecão”, a equipe profissional do Operário, que recentemente havia ficado entre as 3 (três) melhores do futebol brasileiro. “Nesse dia a cidade parou para acompanhar esse jogo”, relembra Antonio Carlos Cavanha, o Cridão (39), que na época atuava pela equipe juvenil do Colorado.

O resultado final dessa partida acabou em 7 a 1 para a equipe da capital, “mas o AEC encantou os torcedores que se fizeram presente no estádio e também olheiros do Operário que acabaram levando alguns jogadores nosso para Campo Grande”, diz Juarez Camargo (65), que foi jogador e treinador do clube.

“Tínhamos uma equipe que fez história no futebol caarapoense e também na região; Marcão, Amaral, Jamel, Zé Maria, Osmar, Ci Mateu, Brecha, Rica, Raimundo, Naito e Amarildo. A equipe ainda contava com jogadores como Dirceu, Tampinha, Gauchinho, Orion, Luis Bariane, Piolho, Paulinho Preto, depois mais para frente Deda, Cridão, Zé Castor, Xavier, Luizinho entre tantos outros que me falham a memória agora”, diz Juarez.

A equipe caarapoense ainda realizou outras grandes partidas contra o CAD, Comercial, Seleção Brasileira de Máster e até contra a equipe juvenil do São Paulo FC.

Um dos jogadores que passou pelo AEC e que mais se destacou no cenário futebolístico, foi João Baratela Cavanha, o Deda. Em amistoso realizado contra a equipe profissional do Ubiratan, a então jovem promessa do AEC acabou sendo convidada a defender a equipe de Dourados no campeonato estadual, logo depois, Deda despertou interesse de grandes clubes do futebol brasileiro e atuou em equipes como Internacional, Fluminense, Santa Cruz, Figueirense e outras mais. Em 15 de abril de 1983, já sem Joaquim Lins a frente do comando da equipe, foi fundada oficialmente a Associação Atlética Esportiva Colorado que através de votação elegeu Jair Franco de Carvalho como presidente e Luis José Bariane como vice.

Porém, sem o apoio de Joaquim Lins e do ex-prefeito da época, Nilson Lima, o AEC não conseguiu mais ter os mesmos desempenho de antes. Em 12 de maio de 1990 o clube encerrou suas atividades oficialmente, deixando um vazio nos amantes do futebol na cidade de Caarapó. De lá pra cá, nenhuma outra equipe emplacou ou empolgou a população caarapoense como o Colorado, que mesmo tendo sido extinto a mais de 18 anos, é lembrado com carinho até os dias de hoje por todos que viveram a fase de ouro do futebol no Vale da Esperança.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE