PUBLICIDADE
Caarapó

Caarapó completou 50 anos ontem

O Município de Caarapó completou ontem, dia 20 de dezembro, 50 anos de emancipação político-administrativa.

| CAARAPONEWS


  

O Município de Caarapó completou ontem, dia 20 de dezembro, 50 anos de emancipação político-administrativa. Antes distrito de Dourados, o desmembramento se deu pela Lei Estadual nº 1190, de 20 de dezembro de 1958.

O povoamento da região que hoje constitui o Município de Caarapó foi iniciado pelos mineiros, como eram chamados os empregados da Cia. Mate Larangeira, que se dedicavam à extração da erva-mate nativa, abundante na região.

A primeira povoação a surgir teve a denominação de Santa Luzia – hoje Juti. Foi construída pela citada companhia em virtude da necessidade de se estabelecer um ponto de pouso para os tropeiros que demandavam o norte do Estado ou ervateiros que afluíam, em grande número, vindos do Paraguai.

Em 1927, nasceu o povoado, atual sede do Município de Caarapó, que teve como fundadores Nazário de Leon e Manoel Benites. Posteriormente, ali se instalou o médico Humberto de Freitas Coutinho, procedente de Uberaba, Minas Gerais, acompanhado do cuiabano Francisco Serejo, homem dedicado ao comércio e à política.

O progresso da região teve por base a extração da erva-mate, pois a Cia. Mate Larangeira, concessionária da exploração, entregava a terceiros, áreas previamente delimitadas, chamadas sesmarias, onde deveriam construir uma "Rancheada" ou casa-sede e uma larga trilha no seio da floresta, para permitir a passagem dos veículos de tração animal, que procediam o escoamento da produção de erva-mate. Essas trilhas, conhecidas no vocabulário indígena como "tape-jacienda", se prolongavam até às margens do Rio Amambai. Daí por diante, o transporte da erva-mate era efetuado por via fluvial até os centros consumidores.

O topônimo de origem tupi-guarani sobreveio em conseqüência da grande quantidade de erva-mate existente: CAA, erva-mate, e RAPÓ, raiz de erva-mate. Em síntese, terra da erva-mate.

O distrito de Caarapó (ex-povoado) foi criado pela Lei Estadual nº 188, de 16-11-1948, no Município de Dourados. Assim, no quadro fixado para vigorar no período de 1949/1953, o distrito figura no Município de Dourados.

Elevado à categoria de município com a denominação de Caarapó, por Lei Estadual nº 1190, de 20-12-1958, desmembrado de Dourados. Em divisão territorial datada de 1° de julho de 1960, o município é constituído de três distritos: Caarapó, Juti e Naviraí.

Por Lei Estadual nº 1944, de 11-11-1963, desmembra-se do Município de Caarapó o distrito de Naviraí, que é elevado à categoria de município. Pela Lei Estadual nº 2061, de 14-12-1963, é criado o distrito de Cristalina e incorporado ao Município de Caarapó. Pela Lei Estadual nº 2115, de 26-12-1963, é criado o Distrito de Nova América incorporado ao Município de Caarapó.

Em divisão territorial datada de 1-1-1979, o município é constituído de quatro distritos: Caarapó, Cristalina, Juti e Nova América. Por Lei Estadual nº 800, de 14-12-1987, desmembra-se do Município de Caarapó o distrito de Juti, que é elevado à categoria de município.

Desenvolvimento

O Município de Caarapó está hoje em franca expansão. Experimenta um novo ciclo econômico, ligado à agroindustrialização, sem, contudo, abdicar de sua vocação agropecuária.

A conseqüência desse processo é o crescimento populacional. Segundo o IBGE, em 2005 a população de Caarapó era de pouco mais de 19 mil habitantes. No ano passado, a contagem da população revelou um aumento de cerca de 16% no número da habitantes, que subiu para 22.723.

Ao mesmo tempo em que comemora o desenvolvimento do Município, o prefeito Mateus Palma de Farias (PR) sabe que tem muitos desafios a enfrentar. Reeleito com 77% dos votos do eleitorado local, ele deverá concentrar as ações na manutenção do processo de crescimento do Município, sem perder o ritmo. “O nosso segundo mandato será ainda melhor que o atual”, afirma. Nesse sentido, está buscando parcerias junto às outras duas esferas de governo, por meio de parlamentares.

De acordo com Farias, não faltarão ações no campo da infra-estrutura urbana, com a implantação de obras de pavimentação asfáltica e drenagem pluvial, saneamento básico, educação, saúde e habitação popular. Apoio ao homem do campo e desenvolvimento de projetos sociais complementam o rol de prioridades que o prefeito de Caarapó elegeu como ações prioritárias para o quadriênio 2009-2012.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE