PUBLICIDADE
Caarapó

André realizou entrega de cestas básicas em aldeia de Cpó

O Governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), realizou a entrega na manhã de sábado (20), de cestas básicas a famílias indígenas da Aldeia Te'Yikue em Caarapó.

| CAARAPONEWS


 

O Governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), acompanhado pela Secretária de Estado de Trabalho, Assistência Social e Economia Solidária, Tânia Garib e pelo coordenador regional da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) em Mato Grosso do Sul, Flávio Brito, realizou a entrega, na manhã do último sábado (20), de cestas básicas a famílias indígenas da Aldeia Te’Yikue em Caarapó.

O Governador chegou ao município por volta das 11h da manhã, foi recepcionado pelo prefeito de Caarapó, Mateus Palma de Farias, pelos vereadores do município e seguiu direto para reserva indígena onde foi recebido pelo capitão da aldeia, Zenildo Isnardi.

Na chegada a reserva indígena, que está situada a cerca de dez quilômetros da cidade, o Governador recebeu colares de presente de um grupo de “rezadeiras” e seguiu para a quadra de esporte da escola da comunidade indígena onde aconteceu o cerimonial.

Após a entrega das cestas básicas, o prefeito Mateus Palma de Farias, o capitão da reserva indígena, Zenildo Isnardi e o Governador André Puccinelli fizeram uso da palavra.

O prefeito Mateus Palma realizou um breve discurso, agradecendo a presença do Governador e os esforços que ele tem feito para colaborar com o município de Caarapó. Depois o prefeito desejou um feliz natal e um próspero ano novo a comunidade indígena.

Já Zenildo Isnardi, fez quatro pedidos ao Governador:

1- Que ele tome providências quanto às condições precárias da estrada que liga Caarapó a Laguna Carapã e corta a aldeia;

2- Que ajude a escola Ñandejara Pólo;

3- Que construa casas populares na aldeia de Caarapó como tem construído em outras reservas indígenas do estado;

4- Que o Governador apóie e incentive a agricultura familiar dos índios, para que eles possam conseguir o seu próprio sustento sem depender de doações de cestas básicas.

Ao fazer uso da palavra, André Puccinelli que ensaiou algumas palavras em guarani, destacou que a partir de agora o Governo do Estado atuará freqüentemente dentro das aldeias e passará a distribuir mensalmente cestas básicas as famílias indígenas. O Governador também prometeu assim que possível, atender aos pedidos feitos pela comunidade indígena de Caarapó passadas pelo capitão Zenildo. “Pegamos um estado quebrado e só agora estamos conseguindo nos mexer, assim que juntarmos mais alguns “pirapirês” (conhecido como dinheiro) iremos solucionar os problemas aqui apresentados”, afirmou.

Puccinelli destacou ainda, seu relacionamento pessoal e de trabalho com os povos indígenas. “Fofoqueiros de plantão tentam pregar por aí que o Governador André não gosta de índio. Isso não é verdade, sempre mantive laços de amizade com a população indígena. Quando fui prefeito da Capital criei a primeira aldeia urbana do Estado. A Aldeia Marçal de Souza para o povo Terena que vivia desamparado em Campo Grande”, disse o Governador ao destacar que além de implantar a aldeia urbana, a única aldeia do Estado que tem como “capit㔠uma mulher, também estruturou a aldeia com obras de infra-estrutura, construção de posto de saúde e até a implantação de uma rádio comunitária.

 “Sempre tive um ótimo relacionamento com os povos indígenas, não tinha muito contato com os guaranis por estarem situados em uma região distante da área que mais atuávamos antes de ser Governador do Estado, mas agora, como Governador, tenho essa oportunidade de estar aqui trazendo essas cestas básicas que serão distribuídas mensalmente para cada uma das famílias cadastradas”, disse.

Governador critica Funai

Ainda em seu pronunciamento para cerca de 2 mil índios guarani-kaiowá na manhã de sábado em Caarapó o Governador André Puccinelli criticou o descaso da Fundação Nacional do Índio que, segundo ele, se quer respondeu aos ofícios destinados pelo Governo pedindo autorização para as equipes realizarem o cadastramento das famílias dentro das aldeias em Caarapó e região, fator que fez atrasar em cerca de meio ano o programa de distribuição de cestas.

“Estamos aqui sem autorização. Apesar do programa que estamos lançando aqui hoje ser de fundamental importância para a comunidade indígena, a Funai se quer respondeu a nossos ofícios pedindo a autorização para atuar nas aldeias e nem enviou representante. Isso é um descaso, tanto com o Governo do Estado que vai continuar trabalhando dentro das aldeias em Mato Grosso do Sul com ou sem autorização da Funai e principalmente com nossos irmãos índios que necessitam do apoio e da atenção do órgão”, desabafou o Governador ao ressaltar que em seu governo todos são tratados de forma igual, independente de cor da pela, raça, etnia ou poder aquisitivo.

“Queremos ter um contato direto com o povo indígena, que vocês tragam para nós os anseios e reivindicações da comunidade indígena e não que entidades ou ONGs decidam por vocês”, finalizou Puccinelli.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE