PUBLICIDADE
Geral

Chuvas amenizam temperatura e crise na pecuária

A chuva de quinta-feira em Dourados e Caarapó amenizou as temperaturas que chegavam na casa dos 35º graus nos últimos dias.

| DOURADOSAGORA


 

A chuva desta quinta-feira em Dourados amenizou as temperaturas que chegavam na casa dos 35º graus nos últimos dias. Em Dourados, o aguaçeiro não foi capaz de reverter a crise na agricultura, mas beneficiou pastagens e e lavouras de soja em fase tardia.

Segundo dados do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cpetec), nesta quinta choveu 22,4 milímetros. No último sábado choveu 17.8mm enquanto no domingo 24.2 mm. Ao todo, janeiro registrou 112.2 mm quando a média total do mês é de 156.1 mm.

De acordo com o chefe-geral da Embrapa, o pesquisador e fitotecnista Fernando Mendes Lamas, fato preocupante é que algumas precipitações nas ultimas semanas aconteceram em pontos isolados e não alcançaram lavouras em regiões como Caarapó, saída de Dourados para Campo Grande e Panambi. Segundo ele ainda é cedo para um prognóstico, mas uma coisa é certa: as chuvas estão amenizando em parte apenas lavouras da soja tardia e pastagens, que representam 40% do total de 170 mil hectares plantados.

A maioria em Dourados (60%) é precoce e sofre com os impactos da seca no campo, que vem cada vez mais obrigando municípios de Mato grosso do Sul a decretarem situação de emergência, a exemplo de Dourados e Caarapó.Para Lamas, é preciso que as chuvas umedeçam o solo. Para isto é necessário um volume de água estimado em 30 milímetros no mínimo, e que esta água infiltre na terra onde há cultivo.Segundo ele, os prejuízos já são inevitáveis, mas as chuvas podem amenizar o problema. Por enquanto o único benefício das precipitações foi na pecuária. "As pastagens se recuperam com as chuvas mais facilmente. Bom pasto, também contribui para boi gordo", comemora.Conforme o site Climatempo, deve chover nesta sexta-feira. O volume de água estimado é de 25 mm enquanto no sábado é de 24mm.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE