PUBLICIDADE
Política

Para Lula, Brasil terá mais de uma reeleição


  Ao sair em defesa de Hugo Chávez, o presidente Luiz Inácio Lulada Silva disse ontem que qualquer partido no Brasil tem o direito de propor a reeleição indefinida caso o país tenha ´instituições consolidadas´, mas voltou a negar nova candidatura.   Na Venezuela, os eleitores irão às urnas decidir sobre o tema em 15 de fevereiro. ´Estamos num processo de construção de fortalecimento das instituições no Brasil.   Isso não impede que daqui a um tempo apareça um partido político com uma maioria de deputados que proponha [a restrição a apenas uma reeleição]. Pode ter três, quatro reeleições´, disse Lula. ´Isso pode acontecer.   Na hora em que você tiver instituições consolidadas e tiver a liberdade política que o povo quiser, isso vai acontecer.´ Segundo Lula, o seu antecessor, Fernando Henrique Cardoso, só não buscou o terceiro mandato por causa da situação econômica do Brasil na época.´Certamente, se a economia brasileira estivesse bem, de 98 a 2002, se o presidente Cardoso tivesse feito as ´encuestas´ [pesquisas, em espanhol] de opinião pública, teria havido um deputado que teria proposto uma emenda para que Cardoso tivesse mais um mandato. No Brasil é assim.   Só não é assim no meu governo´. Volta atrás Em sucessivas entrevistas, Lula tem descartado a possibilidade de apoiar uma mudança na Constituição que lhe permita disputar uma nova reeleição. Em abril do ano passado ele criticou aqueles governantes que se acham insubstituíveis: ´Qualquer pessoa que se ache imprescindível começa a colocar em risco a democracia´. Mas hoje, sempre sob o olhar atento de Chávez, Lula citou o Reino Unido, a Espanha e a Alemanha como países com governos longos, fazendo a ressalva de que são regimes parlamentares.   Citou o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, para afirmar que as críticas contra Chávez só acontecem porque se trata de um governo de esquerda: ´O Uribe estava querendo o terceiro mandato e ninguém perguntava a ele´. Reforma Atualmente tramita no Congresso colombiano uma proposta de reforma que, se aprovada em referendo, dará a Uribe a chance de concorrer ao terceiro mandato. Ele tem sido questionado sobre isso, mas responde de forma evasiva.   Lula disse que ´cada país tem de viver o seu processo´, mas descartou concorrer a um terceiro mandato. ´O Chávez [54] é novo ainda, ele aguenta um novo mandato. Agora eu já tô velho, vou me retirar´, disse Lula [63], em tom jocoso.   Ontem, o Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela marcou o dia 15 de fevereiro para o referendo sobre a emenda que implanta a reeleição indefinida para presidente e demais cargos eletivos.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE