PUBLICIDADE
Geral

Direção da Cooagri avalia possibilidade de arrendamento

| DIARIO MS


A direção da Cooagri (Cooperativa Agrícola e Industrial) vai avaliar, no final deste mês, a possibilidade de arrendamento da empresa, considerada em 2007 a maior cooperativa de Mato Grosso do Sul e que entrou em crise financeira no ano passado.

A assembleia com associados e representantes das 25 unidades já está agendada para o dia 28 de janeiro, em Dourados. De acordo com o presidente da Cooagri, Nivaldo Krüger, durante a assembleia serão avaliadas duas propostas, ambas de cooperativas do Paraná.

O Diário MS teve a informação extra-oficial de que uma das empresas seria a Coamo Agroindustrial Cooperativa, com sede em Campo Mourão, no Paraná. A empresa é considerada a maior cooperativa da América Latina e seria uma das interessadas no negócio. Porém, Nivaldo Krüger não confirmou a informação e disse que o nome das duas cooperativas interessadas era mantido sob sigilo pelo banco Merrill Lynch, contratado para realizar a operação.

Ao Diário MS, o presidente disse apenas que, a princípio, a proposta dos investidores seria a locação das estruturas da Cooagri e só depois, em um segundo momento, a incorporação da empresa. Ele disse que a expectativa é que, após a assembleia, a diretoria já tenha uma resposta e que o novo grupo assuma a Cooagri no mês que vem. “A partir de 1º fevereiro, já deveremos ter uma nova empresa operando a Cooagri”, garantiu.

A assembleia vai acontecer na loja da Cooagri em Dourados, no dia 28 de janeiro, a partir das 7h. Todos os quatro mil associados já estão sendo convocados mas, segundo o presidente, somente os 25 representantes de unidade têm direito a voto.

Krüger disse que a expectativa de toda a diretoria é muito boa, especialmente pelo fato de os dois investidores interessados tratarem-se de cooperativas. “Na situação em que nos encontramos nos últimos seis meses, é importante que seja uma cooperativa para continuar operando as estruturas e, principalmente, continuar atendendo aos associados”, declarou. “Nada melhor do que uma cooperativa para atendê-los com assistência técnica, insumos e também a parte social. Fechar o negócio com uma cooperativa é, hoje, nossa prioridade”, garantiu.

CRISE
A Cooagri enfrenta problemas financeiros desde agosto deste ano, quando a crise internacional impediu a renovação de operações bancárias de curto prazo. Com isso, a cooperativa não conseguiu honrar a entrega em outubro e novembro de sementes, fertilizantes e defensivos a produtores, para o plantio da safra de soja.

Sem capital de giro, a solução foi a negociação da empresa, a maior cooperativa agropecuária do Estado. No entanto, até agora, o banco Merrill Lynch e as empresas interessadas na compra não conseguiram chegar a um acordo sobre o negócio. Até agora, segundo o presidente, a melhor proposta apresentada foi de R$ 100 milhões, mas a cooperativa vale bem mais. O principal entrave são as dívidas da cooperativa, que seriam de quase R$ 200 milhões, contra um passivo de R$ 120 milhões.

A Cooagri fechou 2007 como a maior cooperativa de MS e a 12ª maior do país em 2007. A cooperativa, que tem sede em Dourados, tem 18 unidades espalhadas pelo centro-sul do Estado. Em 2006, a cooperativa foi a segunda maior empresa de MS, atrás apenas da Enersul.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE