PUBLICIDADE
Caarapó

Três pessoas feitas reféns durante a madrugada em CG

| MIDIAMAX


Cinco pessoas foram vítimas de sequestro relâmpago e três acabaram reféns durante a madrugada de hoje, 21 de janeiro, em Campo Grande.  De acordo com a PM (Polícia Militar) os três autores, que acabaram presos, podem pertencer ao PCC (Primeiro Comando da Capital), facção criminosa que domina o tráfico de drogas em São Paulo (SP) e tem “seções” em diversas regiões do Brasil. Eles foram capturados pelo 1º Batalhão de Polícia Militar e todas as vítimas estão bem.
 

O trio trabalhava a mando de um preso da Penitenciária de Segurança Máxima do Estado, de acordo com a PM. “Muito provavelmente é isto que aconteceu. Um preso de lá recebeu uma encomenda e teria ligado para um dos três sequestradores. Eles deveriam levar o carro até Ponta Porã, segundo investigações prévias”, explica o capitão Paulo Xavier, comandante do 1º BPM.
 

Perseguição
 

As cinco vítimas estavam em dois carros passeando nos altos da avenida Afonso Pena, quando, por volta da 0h, foram abordadas pelos três rapazes, sendo que um deles estava armado com um revólver calibre 38. O casal que estava no Gol foi trancado no porta-malas. O carro ficou abandonado no local.
 

O casal que estava no Gol que foi deixado pelos autores conseguiu arrombar o porta-malas e escapar. Eles pediram socorro ligando para o 190.
 

O trio roubou o Corolla e colocou duas das três vítimas no porta-malas. Uma mulher foi colocada no banco de trás, sempre sob controle de um dos autores.
 

Durante uma hora, dez policiais distribuídos em quatro viaturas perseguiram o veículo Corolla que foi roubado. A polícia interceptou o Corolla na avenida Joaquim Murtinho. O trio empreendeu fuga até o Jardim Itamaracá. Conforme os policiais, vendo que não havia forma de fugir com o carro, eles desceram e correram, mas foram capturados após ronda no local próximo onde abandonaram o Corolla.
 

Um homem ,que estava no porta-malas do Corolla , conseguiu se libertar com o carro em movimento, durante a fuga dos autores. Ele ficou todo sujo e com arranhões em grande parte do corpo.
 

O funileiro Welton da Conceição Barbosa, 18 anos, conhecido como “Piuzinho”, B.S.D., 16 anos, e E.C.O., 16 anos, foram presos em flagrante. Welton mora com os avós em uma casa no Portal Caiobá. “Eu não disse que trabalhava para o PCC não. Não falei nada disto não. Eu recebi um telefonema deles [referindo-se aos dois outros autores]”, disse, negando que estava a serviço de uma “encomenda”, segundo informações apuradas pela PM.
 

Welton afirma que “queria levar somente os celulares”. “Moro sozinho com meus avós. Fiz isto para ajudar minha mãe biológica, que tem seis filhos e precisa de ajuda”, disse Welton com voz mansa. O rapaz cumpre pena alternativa por homicídio cometido em 2007, enquanto era menor.
 

Há suspeita de quem tenha liderado o assalto seguido de sequestro foi B.S.D. “Ele mora em um local de classe alta em Campo Grande, já conferimos o endereço. Parece que é de família abastada”, diz o capitão Paulo Xavier.
 

Foram encontrados vários cartões de crédito, oito celulares (sendo cinco das vítimas) e chave de uma moto Kasisnski, produto de roubo realizado no dia 19, segundo a PM. Os autores serão encaminhados ao Cepol (Centro Integrado de Polícia Especializada)

(As placas dos carros e os nomes das vítimas não foram mencionados para proteção delas. Elas não autorizaram a divulgação e a PM aconselhou ser melhor devido a represálias, já que há possível envolvimento de facções “poderosas”).


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE