PUBLICIDADE
Vestibular

Abstenção no vestibular da UFGD foi de 16%

| DOURADOSAGORA


 

O índice geral de abstenção no Vestibular de Verão da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), realizado ontem, foi de 16%, considerando os cinco pólos onde foram aplicadas as provas: Dourados, Campo Grande, Naviraí, Corumbá e Três Lagoas. Dos 9.548 candidatos inscritos na disputa de 1.148 vagas em 21 cursos, 1.494 faltaram. 8.054 inscritos se mantêm na disputa.

Em comparação ao vestibular do ano passado, a estatística de abstenção foi menor. Em 2007, dos 6.817 candidatos inscritos, 1.161 faltaram à prova (17,77%). Em Dourados, o maior ponto de concentração neste vestibular ocorreu no Campus da Cidade Universitária, localizada na rodovia Dourados/Itahum. Lá, cerca de 3.600 vestibulandos estavam inscritos para realizar as provas, onde verificou o maior índice de abstenção (16,49%).

A novidade deste vestibular é que os candidatos foram também distribuídos em escolas de Dourados: Presidente Vargas, Ramona Pedroso, Castro Alves, Reis Veloso e Maria da Glória. Juntas, elas abrigaram 3 mil vestibulandos, sendo que 10,32% faltaram às provas.

Em Campo Grande, onde havia 1.650 candidatos inscritos, registrou-se 270 pessoas ausentes (16,61%). Já em Três Lagoas, dos 850 candidatos, 130 deixaram de comparecer (15,46%). Em Naviraí, 67 dos aproximados 450 candidatos (15,81%) deixou de fazer a prova e em Corumbá, cerca de 5 pessoas do total de 60 inscritos (9,52%) faltaram.

TUMULTUO - A primeira etapa das provas, realizada pela manhã, foi marcada por tumultuo. Pelo segundo vestibular consecutivo, acidentes na rodovia que dá acesso ao campus da Cidade Universitária prejudicaram os candidatos. O acidente mais grave, segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), ocorreu por volta das 7h20, 25 minutos antes de fechar os portões da universidade. Para atender os feridos, equipe do SAMU foi deslocada até o local, tendo que interditar o trânsito. Uma longa fila de carros foi se formando.

Os acidentes ocorreram nas proximidades da 4ª brigada da Cavalaria Mecanizada, cerca de dois quilômetros do Campus da Universidade. Para fugir do congestionamento, vestibulandos abandonaram os veículos e foram correndo até à universidade, para não perder a prova. Quem estava de transporte coletivo também fez o mesmo.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE