PUBLICIDADE
Caarapó

Dois policiais morrem na Capital em 24 horas

| MIDIAMAX


O policial civil aposentado Sérgio Marcos Gomez, 43, foi fuzilado na noite de sábado e no dia seguinte, o PM soldado Reginaldo Marques da Conceição, 36, morre na casa dele e o corpo foi encontrado somente hoje perto da hora do almoço.
 

O policial militar sofreu tiro na testa no quarto dele pouco antes do meio-dia no Jardim Palmira, região da Grande Santo Amaro em Campo Grande.
 

Segundo informação extra-oficial, a polícia apura se pode ter relação entre as duas mortes.
 

Testemunhas afirmaram ao Midiamax que o policial civil trabalhava como segurança do jogo do bicho. A polícia apura o caso.
 

O que causou estranheza na cena do crime da morte do policial militar foi o fato dele ter deixado a motocicleta para fora da casa com se tivesse parado ali para pegar algo rápido e voltar.
 

Ele levou um tiro na testa e a arma foi encontrada ao lado do corpo dele como se fosse suicídio. “Não houve o que chamamos de ritual de alívio, ou seja, nos casos de suicídio observamos toda uma preparação para que isso ocorra como despedida dos amigos e familiares”, explica um policial que pediu para não ter o nome revelado.
 

Os casos

Mas, a razão da morte do policial militar Reginaldo Marques da Conceição, 36, pode começar a ser esclarecida em 15 dias. Esse é o período estimado para a conclusão do exame resíduográfico, que apontará a presença ou não de pólvora nas mãos de Conceição. Por ora, a hipótese é de suicídio.
 

O corpo do PM foi encontrado no início da tarde de hoje (26) na casa dele, situada à Rua Guaratinga, no Jardim Palmira, em Campo Grande.
 

A polícia tomou conhecimento da morte de Reginaldo após desconfiança de uma vizinha, irmã do capitão da PM Mário Ângelo Ajala, proprietário da casa, onde a vítima morava. Márcio contou que Reginaldo chegou em casa por volta das 20h, deixou a motocicleta do lado de fora e entrou.
 

Hoje, a irmã de Ajala estranhou a presença do veículo no mesmo local, que fora deixado por Reginaldo. Desconfiada de que havia algo errado, a vizinha ligou para o irmão, o qual pediu a um colega averiguar a situação. Esse policial precisou pular o muro para entrar na casa.
 

O corpo de Reginaldo foi encontrado sobre a cama dele. O policial estava deitado, de barriga para cima e com uma perfuração de bala na testa. Uma arma – pistola – estava do lado da cama.
 

Reginaldo Marques morava sozinho. Ele havia se separado recentemente. De acordo com Mário Ângelo, Reginaldo era uma pessoa calma. Neste domingo, ele participara de um churrasco e de um jogo de futebol, segundo contou o amigo dele, o mecânico Paulo Reis.
 

Por conta da tragédia, a rua Guaratinga ficou interditada. No local, cinco viaturas da PM e da Polícia Civil.
 

Fuzilamento

Uma ligação anônima levou a polícia a deter, na manhã desta segunda-feira (26), três homens, suspeitos de envolvimento na morte do policial civil aposentado Sérgio Marcos Gomez, 43. A informação é do delegado Fernando Villa, titular da Depac (Delegacia Especializada Pronto Atendimento Comunitário), que responde pelo caso preliminarmente. Apesar do caso ser recente, a polícia já está certa de que se trata de crime de execução. A polícia também já tinha conhecimento da participação da vítima no jogo do bicho.
 

Na ligação, feita ao Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança) no início da manhã de hoje, uma pessoa assegurava saber as identidades dos autores do crime e o local onde se encontravam. Policiais foram até a residência indicada e detiveram três homens.
 

Os detidos negaram qualquer envolvimento no homicídio. Eles foram liberados, após a coleta de material para a realização do exame de resíduo de chumbo. Esse exame indicará a presença ou não de teor de pólvora nas mãos dos suspeitos. No local do crime, peritos apreenderam cápsulas deflagradas de pistola 9mm, arma que deveria ser usada restritamente pela polícia.
 

O caso permanece, apenas por hoje, na Depac. Depois, segue para o 5ª DP (Delegacia de Polícia). Neste início de investigações, ainda existem muitas interrogações, mas a polícia tem, ao menos, uma certeza: a morte de Sérgio foi encomendada. “Não trabalhamos com a hipótese de latrocínio. Foi crime de execução”, afirmou o delegado Fernando. “Se teve uma execução, alguma coisa levou a isso. E é isso que temos que descobrir”, completa.
 

Entre os fatores que desembocaram na execução de Sérgio, pode estar o seu suposto envolvimento no jogo do bicho. “Nós já tínhamos essa informação”, contou o delegado, adiantando que as investigações levarão em consideração essa questão.
 

O Fiat Uno, placas HSY 6057, conduzido pela vítima no momento em que foi assassinada, passou por perícia e se encontra no pátio do 5º DP. No veículo há uma perfuração de bala no vidro traseiro e outra na porta do passageiro.
 

O ex-policial foi sepultado por volta das 9h de hoje no Memorial Parque com a presença de muitas pessoas.
 

Acidente Sérgio Marcos trabalhou no Garras (Grupo Armado de Repressão a Roubos, Assaltos e Sequestros) e passou pela Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos) e aposentou-se na DEH (Delegacia Especializada de Homicídios). Ele se aposentou após sofrer um acidente de trânsito há cerca de cinco anos [as fontes policiais não souberam precisar quando foi o acidente]. Na ocasião, ele estava a serviço – conduzia presos em veículo oficial.
 

No ano passado, o ex-policial interpôs agravo regimental contra a Secretaria de Administração de Mato Grosso do Sul. Ele pretendia ser promovido para investigador de Primeira Classe, sob a alegação de que tinha grande desembolso com remédios, por causa do acidente sofrido.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE