PUBLICIDADE
Geral

Copa 2014: Capital anuncia marketing de Guerra

Campo Grande se prepara para conseguir trazer jogos da Copa de 2014 para a cidade.

| MIDIAMAX


“Vamos fazer um marketing de guerra”, convocou, na manhã desta quarta-feira (28), o presidente da ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande) Luiz Fernando Buainain, durante lançamento da campanha “O comércio está com bola toda”, que visa mobilizar o setor produtivo e a sociedade campo-grandense em prol da escolha da cidade como subsede da Copa. O evento ocorreu na sede da entidade. Estão sendo investidos R$ 100 mil na iniciativa, relativos a aquisições de artigos diversos, publicidade e gastos com pessoal. A idéia é mostrar para a comissão da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e da Fifa, que chegam no dia 3 na cidade.

A ação de guerra, mencionada por Buainain, consiste em usar de muita criatividade para estar à frente da mobilização popular de Cuiabá, cidade que faz concorrência direta com Campo Grande. “Aqui na cidade não vamos apenas colocar faixas”, adiantou o presidente.

Para tentar convencer a comissão de que Campo Grande merece subsediar jogos do Mundial, estão sendo traçadas diversas estratégias. Uma delas é instalar traves gigantes em ruas principais da cidade, com redes de papéis. “Os carros com a comissão vão passar por dentro dessas traves, marcando gol para Campo Grande”, metaforizou.

Outra idéia é receber os integrantes da comissão de braços, literalmente, abertos. Para isso, foram projetadas grandes camisetas da seleção brasileira, com três aberturas cada na parte superior. Cada camiseta será usada por três pessoas, que ficarão com os braços abertos.
-

Também estão sendo planejadas simulações de jogos de futebol entre jogadores do Comercial e do Operário no canteiro da avenida Afonso Pena, que será trajeto de parte da comissão.

Além dessas “táticas de guerra”, as lojas do centro deverão estar em clima de Copa. O presidente Buainain informou que solicitará aos lojistas, que ornamentem seus estabelecimentos com motivos do Mundial, como balões em verde e amarelo e camisas da seleção brasileira.

A entidade investiu R$ 100,1 mil na campanha. Alguns dos destinos do montante são: publicidade em ônibus (R$ 40 mil), outdoor (R$ 21 mil), equipe operacional (R$ 12 mil), adesivos para caminhão (R$ 7 mil) e bonés (R$ 5 mil).

Prefeito

O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) esteve no evento e informou sobre as ações da Prefeitura para trazer a Copa para Campo Grande. A empreitada para vencer a disputa com Cuiabá será realizada, sobretudo, através da parceria da Prefeitura com um consórcio das empresas de engenharia Carioca e Somag. Essas empresas são responsáveis pelas obras no estádio Pedro Pedrossian, o Morenão, cujos investimentos estimados somam R$ 350 milhões.

O prefeito salientou que a empresa Somag, de Portugal, foi responsável pelas construções de dois estádios portugueses, nas cidades do Porto e de Benfica. Nesta quinta-feira, o prefeito e o governador André Puccinelli viajam para o Paraguai, onde participam da inauguração do Museu do Futebol. Eles aproveitam a solenidade – onde estarão o presidente da Fifa e o ex-jogador Pelé – para fazer lobby em favor da vinda da Copa para Campo Grande.

iniciaCorpo("15;12;16;13;17;14;18;15");

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE