PUBLICIDADE
Agronegocios

Troca de soja por cana frustra agricultores no Centro-Oeste

| AGROLINK


"Resolvi diversificar a cultura e comecei a plantar cana para fornecer para as usinas. Só não esperava que o setor [sucroalcooleiro] fosse entrar em crise e que eu fosse ficar com a cana na mão." A frase acima é de um produtor de grãos de Goiás, que há dois anos também se tornou fornecedor de cana. Assim como ele, que preferiu não se identificar, muitos produtores e arrendadores de terras do país começam a repensar a cana como alternativa econômica.


Parte dos produtores goianos que arrendou terras para usinas canavieiras tem enfrentado inadimplência. O atraso nos pagamentos pelas áreas arrendadas passou a ocorrer, sobretudo, a partir do segundo semestre de 2008, e não envolve apenas pequenas usinas, mas as grandes instaladas nos municípios de Acreúna, Anicuns, Inhumas, Santa Helena e Vicentinópolis, todos em Goiás, de acordo com a Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg). Em algumas dessas regiões, há atraso de até cinco meses no pagamento.


O arrendamento é, em alguns casos, a única alternativa de renda desses produtores. Esses contratos de arrendamento de terras vigoram por no mínimo um ciclo completo da cana, tradicionalmente de seis anos, e vai até 20 anos, quando é de longo prazo. Segundo Bartolomeu Braz Pereira, presidente da comissão de açúcar e álcool da Faeg, as usinas instaladas nas regiões de Goiás com problemas financeiros estão negociando o pagamento em atraso. "O momento é difícil para o setor. Os produtores estão discutindo saídas", disse.


O caso de Goiás não é isolado. Em São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Estado considerado nova fronteira para cana, a situação é similar. E nesse pacote de inadimplência os fornecedores de cana também estão incluídos. Na região de Ribeirão Preto (SP), principal pólo produtor de cana do país, nove usinas estão com pagamento de seus fornecedores em atraso, segundo Manoel Ortolan, presidente da Cooperativa Plantadores Cana do Oeste São Paulo (Canaoeste).


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE