PUBLICIDADE
Caarapó

Dourados: posto é multado em R$ 35 mil por danos ambientais

O empresário Nelso Gabiatti, proprietário do Posto Gaúcho, em Dourados, foi multado em R$ 35 mil

| MIDIAMAX


 O empresário Nelso Gabiatti, proprietário do Posto Gaúcho, em Dourados, foi multado em R$ 35 mil pelo Imam (Instituto Municipal do Meio Ambiente), sob o argumento de que cometeria crime ambiental. Técnicos do órgão vistoriaram o estabelecimento na tarde de hoje (5) e constatam irregularidades no destino da água usada para lavar carros.

A legislação ambiental estabelece que, as empresas que trabalham com um volume grande de água, precisam implantar um sistema para captar os resíduos e direcionar à rede de esgoto, ou ainda fazer o tratamento devido. No caso do posto de combustível autuado pelo Imam, a água suja com resíduos químicos era despejada no meio da rua. Além da lavagem dos veículos, também havia acúmulo de água suja despejada na calçada quando o empresário determinava a limpeza do pátio do estabelecimento. As afirmações são da assessoria de imprensa da Prefeitura.

De acordo com a diretora presidente do instituto, Irionetti Ferreira (ouvida pela assessoria), a água acumulada com os resíduos químicos pode trazer danos ao meio ambiente, além de danificar o asfalto. Neste caso específico, a quantidade de água formou um buraco na principal avenida de Dourados por onde circulam diariamente centenas de veículos, fora o movimento de motociclistas, ciclistas e pedestres, como teria informado Irionetti.

A diretora disse também, segundo a assessoria, que além desta prática ilegal, o empresário não apresentou a licença ambiental, documento que é exigido para o funcionamento de determinados estabelecimentos comerciais. No caso de postos de combustível a licença é imprescindível e é liberada pelo Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul). O Imam concedeu um prazo de 72 horas para o empresário apresentar a licença ambiental.

iniciaCorpo("15;12;16;13;17;14;18;15");

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE