PUBLICIDADE
Geral

Calouro vítima de trote é socorrido em coma alcoólico


Um trote virou caso de polícia em Leme, a 188 km de São Paulo. Mas o pai de um dos jovens diz que não foi um trote, e sim crime – um massacre. Calouros do curso de veterinária contam que foram obrigados a fazer barbaridades. A sessão de humilhação desta segunda-feira (9), fotografada pelos veteranos, foi parar na internet.


Dois estudantes acabaram no hospital em coma alcoólico. A polícia abriu inquérito para investigar os autores da agressão, ocorrida no primeiro dia de aula. A região onde aconteceu o caso concentra várias universidades e recebe estudantes do país inteiro.


Os calouros passaram por um ritual de humilhações, sendo que alguns não resistiram. No banco de trás do carro da família, o estudante de 21 anos ficou inconsciente de tanto beber. O pai dele, Paulo Sérgio Ferreira, foi buscá-lo no hospital. Para ele, o rapaz foi vítima dos exageros no trote da faculdade.


“Ele apanhou com chicote. Não sei quem foi o autor da pancada, mas ele tem lesão no braço e nas costas. Ele também tem dor no corpo todo. A impressão que dá é de que e ele foi jogado numa vala de esgoto, porque ele estava num mau cheiro total. Não sei nem o que falar”, relatou, emocionado, o representante comercial Paulo Sérgio Ferreira.


O estudante foi aprovado no curso de medicina veterinária de uma universidade particular em Leme, no interior de São Paulo. Como ele, os alunos foram a vários bares que ficam perto da universidade, onde consumiram grande quantidade de bebida alcoólica.


Depois os veteranos submeteram os calouros a trotes considerados humilhantes e violentos. Uma universitária conta o que aconteceu com o estudante que foi levado ao hospital.


“Ele recebeu alguns chutes dos veteranos e depois foi sentado numa cadeira. Veio um veterano e chutou essa cadeira até quebrar, derrubando o rapaz, que bateu com a cabeça no chão e saiu sangue. Vendo que o rapaz não estava bem mesmo, levaram-no até uma república tentando reanimá-lo”, disse a estudante.


As fotos do primeiro dia de aula foram divulgadas em um site de relacionamento. Nelas, os calouros aparecem sujos, cobertos com o que parece lama. Um estudante foi colocado num tambor.


“Os calouros tiveram que passar por uma mistura de esterco e fezes de vários animais. Tinha também animais em decomposição”, comentou outra universitária. 
 

Inquérito
 

 A região é conhecida por atrair estudantes de todo o país para universidades públicas e particulares, mas um trote como esse não é comum. A polícia abriu inquérito para investigar se o jovem também foi agredido por veteranos. Já a faculdade em Anhanguera informou, por meio de nota, que repudia qualquer tipo de agressão e que vai abrir sindicância para apurar os responsáveis. Os alunos poderão ser expulsos. 
 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE