PUBLICIDADE
Caarapó

Motorista embriagado atropela e mata garoto de 14 anos no DF


Um motorista embriagado atropelou neste fim de semana, no Distrito Federal, um garoto de 14 anos, que teve traumatismo craniano e morreu na hora.

De acordo com o delegado Sérgio Bautzer Filho, o teste do bafômetro aplicado ao motorista indicou 0,80 miligramas de álcool por litro de sangue, nível acima do tolerado.

“Eu corri ao ver meu filho, gritei o nome dele e fui até ele. Ele me olhou, baixou os olhos e mais nada”, conta o pai, que ficou ferido e precisou levar seis pontos na perna esquerda.

Chovia na noite de sábado (14) quando o adolescente e a irmã voltavam de ônibus de um passeio ao shopping. Eles ligaram para o pai buscá-los na passarela do Park Way (DF). O pai foi de bicicleta, levou um guarda-chuva para cada filho, e eles seguiram pela beira da pista. Os dois adolescentes caminhavam logo atrás do pai quando foram atropelados.

A irmã do menino, de 13 anos, ficou presa no pára-choque do carro e foi arrastada por 30 metros, mas foi liberada logo depois de ser atendida no Hospital de Base, em Brasília. “Ela gritou por socorro e pediu para o carro parar. Ele parou próximo à minha casa. Em seguida, o delegado chegou e deu voz de prisão pra ele, que estava embriagado”, afirma o pai das vítimas. 
 

De acordo com o delegado, o motorista foi autuado por homicídio e duas tentativas de homicídio. “Eu encontrei o motorista embriagado com o veículo causador do acidente perto do local do crime”, conta. Ainda segundo o delegado, o infrator trabalha como motorista da Novacap (Companhia Urbanizadora da Nova Capital).


“Já perdi meu filho, muitas pessoas já perderam. Se continuarem bebendo e dirigindo, vai morrer mais gente ainda”, apela o pai. O corpo de Maxwell foi enterrado no fim da tarde de domingo (15) no cemitério Campo da Esperança.


O inquérito ficará pronto em dez dias. O motorista foi preso em flagrante por um policial de folga que passava pela pista. Ele está no Departamento de Polícia Especializada, onde aguarda decisão da Justiça. 
 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE