PUBLICIDADE
Caarapó

São Paulo e Corinthians termina empatado


Polêmica antes do jogo, mistério e surpresa nas escalações, três expulsões, show de cartão amarelo e dois belos gols. No reencontro entre São Paulo e Corinthians depois de mais de um ano, o empate por 1 a 1, no estádio do Morumbi, pela oitava rodada do Campeonato Paulista, foi digno da história de rivalidade entre os dois clubes.


Embora seja com três igualdades e apenas uma vitória, o Corinthians pode ao menos dizer que sustenta um tabu sem perder do rival. Desde o empate no primeiro turno do Brasileirão de 2007, o Timão não sabe o que é derrota diante do São Paulo, que até 7 de setembro daquele ano não perdia do adversário havia mais de quatro anos.


O novo empate entre as duas equipes, com belos gols de Borges e André Santos, mantém ambos em mesma situação na tabela de classificação do Paulistão. O time alvinegro segue na vice-liderança, agora com 18 pontos, e o Tricolor em terceiro, com um ponto a menos. O Palmeiras é que lidera, com 21.


O São Paulo volta a campo na próxima quarta-feira, mas não pelo Campeonato Paulista, e sim pela Taça Libertadores da América. A estreia tricolor está marcada para as 22h, contra o Independiente Medellín, no estádio do Morumbi. Já o Corinthians terá a semana livre e tem outro compromisso apenas no sábado de carnaval, às 16h, contra o Guaratinguetá, fora de casa, pelo Estadual. 


O São Paulo surpreendeu com a escalação de um time misto, assim como o Corinthians, que inicialmente divulgou o time com três dúvidas. Somente dez minutos antes da partida é que o Timão anunciou que Souza ficaria no banco e Alessandro e Chicão estavam vetados pelo departamento médico.


Independentemente dos atletas que estavam em campo, o clima de rivalidade se fez presente logo no primeiro lance. E curiosamente entre dois atletas que jamais haviam jogado um clássico entre São Paulo e Corinthians. André Lima dividiu a bola com Escudero e se desculpou. O argentino não aceitou e houve rápida discussão.


Os nervos à flor da pela de ambos os lados fez o início do primeiro tempo ser muito faltoso. Com apenas seis minutos de jogo, o árbitro José Henrique de Carvalho já havia apitado sete infrações. Pouco depois, aos 8, uma chance de gol do São Paulo. Richarlyson arriscou de longe e mandou à esquerda do goleiro Felipe.


Melhor em campo, o time do Morumbi dominava as ações ofensivas, e o Corinthians esperava o contra-ataque. A superioridade tricolor fez dois corintianos discutirem rispidamente aos 11 minutos – o volante Cristian bateu boca com o meio-campista Elias por conta de falha na marcação.


O Timão só conseguiu chegar com perigo ao gol de Bosco aos 17 minutos, quando Douglas chutou de perto da meia-lua. Só que o são-paulino defendeu. Aos 24, o São Paulo teve ótima chance de abrir o marcador, mas André Lima se atrapalhou ao receber cruzamento de Wagner Diniz e viu Felipe ficar com a bola.


André Lima teve ainda duas boas chances. E furou em ambas. Irritada, a torcida tricolor pediu por Borges. Aos 38 minutos, o clima esquentou de vez no clássico. Escudero fez boa jogada pela direita e tocou para Túlio, que escorregou na área. Ao levantar, o volante corintiano acerto soco na barriga de André Dias.


Embora o árbitro José Henrique de Carvalho não tenha visto, um dos seus auxiliares o avisou e Túlio levou cartão vermelho. Os corintianos reclamaram muito, principalmente porque André Dias esbarrou no camisa 8 antes do soco. Na saída do campo, o alvinegro alegou que o são-paulino tinha simulado.
 

Enfim, emoção na bola

Depois de apostar no contra-ataque na etapa inicial e não ter sucesso, o técnico Mano Menezes optou por colocar Souza no lugar de Morais, assim ficaria com mais referência na frente. Só que o que se viu no primeiro lance do segundo tempo foi mais nervosismo. André Santos fez falta dura em Dagoberto e levou amarelo.


Aos 11 minutos foi a vez de Muricy Ramalho mudar o São Paulo. O comandante tricolor sacou André Lima e Rodrigo para as entradas de Borges e Hernanes. O atacante, porém, entrou em confusão logo que colocou os pés no gramado. Ele se desentendeu com o argentino Escudero e foi advertido com amarelo.


Os poucos lances de perigo de gol que tiveram na etapa anterior, sumiram na complementar. Eles deram lugar a mais catimba. Tentando igualar o número de jogadores em campo, os corintianos reclamavam de qualquer lance de falta, principalmente quando envolvia algum atleta que já tinha cartão amarelo.


Aos poucos, São Paulo e Corinthians esboçaram a uma melhora no futebol, mas os goleiros Bosco e Felipe quase não tinham trabalho. Aos 28 minutos, porém, o torcedor do Timão comemorou. Não foi gol, mas Wagner Diniz, que já havia recebido um amarelo, fez falta dura em André Santos, sendo expulso de campo.


Não deu tempo, no entanto, de o Alvinegro tentar nada. Aos 30 minutos, o São Paulo abriu o placar. E em grande estilo. Dagoberto tocou para Hernanes, que, de primeira, devolveu para o camisa 25, também de primeira, cruzar para Borges rolar para o fundo do gol. Foi o primeiro gol do artilheiro tricolor em 2008 neste ano.


O Corinthians não se abateu com o gol sofrido, foi para cima do rival e conseguiu o empate rapidamente. E com bela jogada. O jovem Boquita, que entrou no lugar de Douglas, deu ótimo passe para André Santos. O lateral-esquerdo apareceu bem na grande área e tocou na saída do goleiro Bosco.


Aos 40 minutos, um lance colocou aumentou o fogo na partida. Jean entrou na grande área e William caiu para fazer o desarme. Os são-paulinos reclamaram pênalti, e Dagoberto e Richarlyson levaram cartão amarelo. Um minuto depois, André Santos levou o segundo por falta em Júnior César e foi expulso.


Empate no placar, vitória do Corinthians em expulsões e igualdade nas advertências. O reencontro entre os rivais após mais de um ano foi digno de clássico
 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE