PUBLICIDADE
Caarapó

Aluno tem que ser instruído para exame da ordem, diz OAB

| MIDIAMAX


O último exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) causou polemica devido ao baixíssimo número de aprovados. Inicialmente foi divulgado que de 1.389 inscritos penas 234 haviam sido aprovados. Porém, no dia 17 deste mês, depois da fase dos recursos o número de aprovados subiu para 442. Segundo o presidente da OAB/MS, Fábio Trad, este número ainda é muito baixo e serve de alerta para a qualidade de ensino oferecida pelas universidades.


Trad defende que as instituições de ensino superior que oferecem o curso de direito, preparam seus alunos desde cedo para realizarem o exame da ordem. “Tem bacharel que faz a prova sem se quer saber como ela funciona. É necessário um trabalho a longo prazo das universidades com estes alunos, para que eles tenham a mínima noção sobre o exame”, afirma.


Conforme o presidente da OAB, é necessário um conjunto de iniciativas para que o aluno esteja suficientemente prepara para fazer o exame e obter êxito. “Primeiro é preciso um programa de motivação ao aluno do 1ª ao 5ª ano curso de direito, sendo aplicado simulados desde o 3º ano. Segundo é preciso que os professores sejam mais rígidos, quanto a avaliação do aluno. Se ele não tem condições de passar, tem que ser reprovado”, explicou relatando que a OAB realiza palestras nas universidades sobre o exame da ordem.


No último dia 18, a Comissão de Ensino Jurídico da Seccional estadual da Ordem dos Advogados do Brasil propôs a criação de um Selo da OAB-MS a ser concedidos às instituições de ensino superior que ofereçam cursos de direito. A proposta, apresentada pelo presidente da comissão, Oton José Nasser de Melo.


Exame
De acordo com Fábio Trad , o último exame teve 6 questões que foram anulados por estarem erradas. Devido este problema a OAB cobrará critérios mais rígidos da instituição que elaborou o exame, já que este erro provocou uma distorção no número de aprovação. “A OAB vai cobrar mais critério da Fesp por conta do alto número de erros”, afirmou.

Chico Júnior - Midiamax
 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE