PUBLICIDADE
Política

Se PMDB se unir ao PT, Murilo poderá disputar o Senado

| MIDIAMAX


Caso o PMDB se una ao PT nas eleições de 2010 em Mato Grosso do Sul, o PSDB e DEM lançarão candidatos a governador e senador. O hoje vice-governador Murilo Zauith (DEM) poderá concorrer ao Senado. Quem informa é o deputado estadual Zé Teixeira, secretário-geral do DEM, que diz ter ouvido tal revelação do próprio Murilo.

“O governador [André Puccinelli] tem dito que uma das vagas ao Senado, ele dará a um partido aliado, porém se ele se unir ao PT, provavelmente quem ocupará o espaço é o senador Delcídio do Amaral”, refletiu o democrata durante sessão na Assembléia Legislativa.

A aliança com o PT seria um passo definitivo do PMDB, para afastar PSDB e DEM, segundo o deputado. “É que PSDB e DEM têm interesse em dar palanque para o presidenciável tucano. Assim se o André Puccinelli se aliar ao PT não restará outra alternativa a não ser lançar candidato próprio ao governo do Estado e o Murilo vai disputar o Senado”, comentou.

Murilo Zauith que preside o Democratas tem dito que quer compor com o PMDB. Em 2006, ele já havia pleiteado a vaga de senador na chapa de André Puccinelli (PMDB), mas acabou vencido por Marisa Serrano (PSDB). Porém, foi contemplado com a vaga de vice.

O vice-governador ainda se arriscou em outra eleição no ano passado. Com o apoio de André Puccinelli (PMDB), disputou a prefeitura de Dourados, mas perdeu para Ari Artuzi (PDT).

Outro aliado que trabalha para conquistar o apoio de André Puccinelli é o presidente regional do PSDB, deputado estadual Reinaldo Azambuja.

Mas, Reinaldo pondera que DEM e PSDB têm um compromisso com a eleição do presidenciável tucano. Assim no caso do PMDB de Mato Grosso do Sul se aliar ao PT não haverá outra alternativa a não ser lançar candidato próprio para que o candidato do PSDB tenha um palanque no Estado.

Hoje pela manhã, na Assembléia Legislativa ele citou que a senadora Marisa Serrano continua sendo o principal nome do partido para concorrer ao governo do Estado. Eleita para o Senado em 2006, a Senadora ainda teria mais quatro anos de mandato garantido.

Portanto, a eleição para governo não representaria qualquer risco para ela. Azambuja revelou que tem discutido o cenário eleitoral com Murilo Zauith. Os dois tem tratado inclusive das candidaturas proporcionais.

Outro partido que também faz parte da aliança nacional visando a disputa presidenciável é o PPS. As três legendas já fecharam acordo nacional para a eleição do presidenciável tucano.

iniciaCorpo("15;12;16;13;17;14;18;15");

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE